Bauru

Geral

Cresce o uso de canabidiol em Bauru para tratar dor crônica

Avaliação é do médico ortopedista Breno Meira, que utiliza a substância em pacientes na cidade

por Tisa Moraes

06/07/2022 - 05h00

Tisa Moraes

Breno Meira, médico ortopedista, comenta os bons resultados

Cada vez mais afastado de preconceitos e tabus, o uso do canabidiol (CBD) - substância derivada da Cannabis sativa (maconha) - para fins medicinais está garantindo melhoria da qualidade de vida de muitos moradores de Bauru que sofrem com dor crônica. Entre os fatores que impulsionaram o aumento do número de adeptos a este tipo de tratamento, está o fato de associações de pacientes terem obtido, nos últimos anos, autorização para cultivar e produzir o extrato no País, o que barateou custos, e de a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter regulamentado, em 2019, o registro destes compostos e a venda em farmácias.

Hoje, o óleo de CBD é utilizado para tratar diversas doenças neurológicas e psiquiátricas, mas também vem ganhando espaço na ortopedia, com bons resultados entre pacientes que sofrem com dores crônicas, como aqueles diagnosticados com fibromialgia, artrose grave e artrite reumatoide. Segundo o médico ortopedista Breno Meira, o número de pessoas com este tipo de problema - que pode desencadear outras enfermidades, como ansiedade e depressão - é elevado, sendo a maioria idosas, mas com casos cada vez mais frequentes envolvendo as mais jovens.

"Normalmente, começam a fazer uso do canabidiol pacientes que já se submeteram a inúmeros tratamentos anteriormente, com diversos medicamentos, mas que não foram tão eficazes ou geraram efeitos colaterais. A utilização de opioides, por exemplo, que são analgésicos potentes, pode causar dependência. Já os anti-inflamatórios não hormonais podem provocar problemas nos rins e estômago", acrescenta.

Meira explica que o CBD, apesar de ser extraído da maconha, não contém tetrahidrocanabinol (THC), substância da Cannabis que possui efeitos psicoativos. Há cerca de um ano usando o canabidiol para tratar parte de seus pacientes, o profissional diz que não constatou qualquer reação adversa importante e que, até o momento, todos os resultados alcançados foram muito satisfatórios. "Até mesmo a dor provocada pelo herpes-zóster, que não é uma doença ortopédica, pode ser minimizada com essa substância".

CUSTO MENOR

Além da boa resposta ao tratamento, preços mais acessíveis também têm proporcionado que um número maior de pacientes consuma óleo de CBD em Bauru. De acordo com o médico ortopedista, pela associação paraibana Abrace Esperança, que possui autorização para produzir estes extratos, uma pessoa desembolsa, em média, R$ 250,00 para adquirir o medicamento necessário para um mês.

Se fizesse importação direta, o custo seria de mais de R$ 1 mil, que sobe para R$ 2 mil mensais se o remédio for adquirido em farmácias. "Para comprar de uma instituição que fabrica o canabidiol, o paciente precisa se associar a ela e pagar uma taxa anual, que fica em torno de R$ 200,00. Para tanto, deve enviar um laudo médico com a prescrição do medicamento e um histórico de que tratamentos tentados até aquele momento não foram bem-sucedidos. Assim que se associa, ele pode comprar a quantidade que precisar de CBD a um valor muito mais em conta", esclarece Breno Meira.

Ler matéria completa

×