Bauru

Geral

Rio Bauru volta a ser contaminado por esgoto; empresa deixou a obra

O leito havia parado de receber dejetos em 2018, mas o problema se repete pela quarta vez nos últimos 12 meses

por Bruno Freitas

06/08/2022 - 05h00

Bruno Freitas

Trecho do Rio Bauru, no trevo, teve maquinário nivelando terreno e apresenta forte odor

O Rio Bauru pede socorro mais uma vez. Quem passa de automóvel ou a pé pelas proximidades do trevo da avenida Nuno de Assis com a rodovia Marechal Rondon (SP-300) tem notado um forte odor de esgoto há mais de 10 dias. A reportagem constatou coloração escura e cheiro indicativo de dispersão da rede de esgoto em uma área do leito não canalizada e questionou o DAE. A autarquia confirmou o problema de vazamento e acrescentou que as obras de transposição para levar dejetos até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) estão paradas porque a empresa terceirizada interrompeu o serviço (leia mais abaixo).

Vale lembrar que desde 2018, após a implantação de interceptores, o leito do rio que atravessa a Nuno de Assis até o Distrito 1 deixou de receber diretamente o esgoto captado pela rede da cidade. A partir desta intervenção, o curso d'água se regenerou e passou a ser frequentemente visitado por patos, garças e cágados e a abrigar peixes. No entanto, houve uma poluição em maio e duas vezes em julho de 2021.

Na época, foram três situações diferentes. A primeira foi na altura da Nuno com a avenida Nações Unidas, em maio. O problema seguia até a região do Mary Dota e Chapadão, onde há a ponte Ayrton Senna. Na época, o DAE informou que houve um afundamento na rede de esgoto, com ruptura da mesma, na rua Azarias Leite, ocasionado por entupimentos.

Pouco tempo depois, um vazamento de tubulação jorrou fluxo intenso de esgoto em um dos canteiros de obras da concessionária ViaRondon, no trecho que passa ao lado do Sesc, na altura do quilômetro 340 da Rondon, no sentido interior-Capital. O terceiro escape foi outra vez no cruzamento da Nações com a Nuno. Todos os casos foram reparados ainda em 2021, após denúncias em reportagens do Jornal da Cidade.

RESPOSTA

Ao JC, o DAE esclareceu que parte da rede de esgoto próximo ao viaduto está obstruída, o que ocasiona um desvio do lançamento dos dejetos diretamente no Rio Bauru. Uma equipe da Divisão Técnica planeja a execução dos trabalhos de desobstrução em conjunto com as obras de ampliação da vicinal da rodovia, pois o local a ser reparado é de difícil acesso e necessita de maquinário apropriado.

A autarquia acrescenta que rescindiu o contrato com a empresa Verdebianco, vencedora da licitação para execução das obras de transposição do rio devido à não retomada dos trabalhos, prevista para janeiro passado.

Desde então, engenheiros da autarquia trabalham na atualização do projeto com inclusão de material mais moderno para conclusão da ETE. O projeto está em fase de elaboração de desenhos técnicos e o departamento não tem prazo definido para conclusão da obra.

Ler matéria completa

×