Bauru

Geral

Jovem agredida no Vitória: 'Fui vítima de LGBTfobia'

Ela foi ferida por um homem com uma caneca e teve fratura no crânio e maxilar

por Tisa Moraes

06/08/2022 - 05h00

Arquivo Pessoal

Jovem de 22 anos sofreu corte grande na cabeça: "Agora, além de me recuperar, tudo que eu quero é que seja feita justiça"

Internada no Hospital de Base (HB), enquanto tenta se recuperar de uma fratura no crânio e outra no maxilar, uma moradora de Bauru, de 22 anos, ainda busca assimilar o que ocorreu na noite do último domingo (31), quando foi agredida por um desconhecido. Na ocasião, ela conversava com amigos na escadaria do Parque Vitória Régia, depois de aproveitar as atrações comemorativas ao aniversário da cidade.

Hospitalizada há cinco dias, a jovem, que é lésbica e pediu para ter a identidade preservada por temer represálias, diz ter certeza de que foi vítima de LGBTfobia. "Foi isso, porque não tem outra explicação para essa agressão gratuita, de uma pessoa que eu nunca vi na vida. Agora, além de me recuperar, tudo que eu quero é que seja feita justiça", afirma.

O homem apontado por ela como o autor do crime já foi identificado e se apresentou na Central de Polícia Judiciária (CPJ) nesta sexta-feira (5), mas não quis prestar depoimento. Ele responderá inicialmente por lesão corporal de natureza grave, tipificação que poderá ser modificada para tentativa de homicídio com dolo eventual, dependendo do que for apurado durante as investigações.

AGRESSÃO

A moradora relata que, por volta das 23h50, estava conversando com três amigos na escadaria do Vitória, enquanto aguardava carona de um colega para ir embora. Em determinado momento, dois homens se aproximaram do grupo e um deles, que possuía tatuagem no rosto e segurava uma caneca de cerâmica, ficou olhando.

"Eu falei: 'Oi, maneira a sua tatuagem'. Ele fez uma cara raivosa, irritada e não respondeu. Aí, eu não disse mais nada e continuei conversando com meus amigos. Também tinha um outro grupo atrás da gente, fazendo bagunça e falando alto. Então, não sei se ele achou que eu falei alguma coisa que não agradou, mas virou, do nada, e bateu a caneca, que era grande, no meu rosto", relembra a jovem.

FRATURAS

A vítima conta que, após receber a primeira pancada, não se lembra de muita coisa. Os amigos, contudo, relataram a ela que, depois que a caneca quebrou, o homem a golpeou novamente com o objeto. A agressão resultou em um corte grande na cabeça, da região próxima ao olho esquerdo até a lateral do couro cabeludo, além de um ferimento na orelha esquerda.

Sangrando bastante, a jovem foi socorrida e levada por amigos até o Pronto-Socorro Central (PSC), onde as lesões foram suturadas. Depois de exames detectarem que a paciente sofreu fratura no crânio e no maxilar, ela foi transferida para a UTI do Hospital de Base, de onde saiu somente na última quarta-feira (3). A vítima segue internada na enfermaria da unidade e os médicos ainda avaliam a necessidade de submetê-la a uma cirurgia.

NA POLÍCIA CIVIL

Também na quarta-feira, a Polícia Civil registrou boletim de ocorrência (BO) e iniciou as apurações para localizar o agressor, cuja suposta identidade já estava sendo divulgada em redes sociais. No dia seguinte (4), uma equipe do Setor de Investigações Gerais (SIG) foi até a casa do suspeito e o intimou para comparecer à CPJ, o que ocorreu nesta sexta.

Segundo o coordenador do SIG, Alexandre Protopsaltis, o homem estava acompanhado de seu advogado e se recusou a prestar depoimento. "Ele não confessou e nem negou que agrediu a jovem. Depois que ouvirmos formalmente a vítima e colhermos todas as provas, no encerramento do inquérito, esperamos que ele apresente sua versão", completa. O suspeito responderá à acusação em liberdade.

Ler matéria completa

×