Bauru e grande região

Internacional

Papa dá esperança a moradores de Maurício

Eles querem devolução de arquipélago pelo Reino Unido

por Philip Pullella/Reuters

09/09/2019 - 11h29

Mike Hutchings/Reuters

Papa Francisco é recebido com entusiasmo em Moçambique

O papa Francisco encerrou, nesta segunda-feira (9), uma viagem pela África com uma visita rápida às Ilhas Maurício, onde rezou uma missa para 100 mil pessoas e deu esperança a um movimento que quer que o Reino Unido devolva um arquipélago.

Francisco chegou às Ilhas Maurício, uma ex-colônia britânica do Oceano Índico, e foi saudado por multidões que acenavam com folhas de palmeira enquanto ele atravessava campos de cana de açúcar rumo à capital.

Saudando várias delegações após a missa, Francisco se referiu a um arquipélago reivindicado pelo Reino Unido e pelas Ilhas Maurício como Chagos, ao invés de seu nome britânico, Território Britânico no Oceano Índico, ou Biot.

"Isto representa um passo importante em nossa luta para reconhecer a soberania da República das Ilhas Maurício sobre o arquipélago de Chagos", disse uma fonte de alto escalão do escritório do primeiro-ministro, Pravind Jugnauth, à Reuters quando indagada sobre o significado do palavreado do papa.

O Reino Unido, que supervisiona a região desde 1814, separou as ilhas Chagos das Ilhas Maurício para criar o Biot em 1965, três anos antes de conceder a independência às Ilhas Maurício - sem Chagos.

O arquipélago de Chagos inclui a ilha de Diego García, que o Reino Unido aluga aos Estados Unidos e que abriga uma base aérea que os dois países compartilham.

"Fiquei muito feliz e orgulhosa de ouvir o papa dizer Chagos após a homilia", disse Rosemond Saminaden, de 83 anos, que foi forçada a deixar uma das ilhas em 1973 e é membro do Grupo de Refugiados de Chagos, que pressiona pela restituição de sua terra.

Em fevereiro, o Tribunal Internacional de Justiça ordenou que o Reino Unido devolva o controle de Chagos às Ilhas Maurício e disse que o país errou ao expulsar cerca de 2 mil pessoas nos anos 1960 e 1970 para construiu a base em Diego García.

Em maio, a maioria da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) exigiu que Londres devolva o controle das ilhas Chagos em seis meses. As resoluções da Assembleia Geral não têm força de lei, mas podem ter peso político, e a votação foi um revés diplomático para o Reino Unido e os EUA.

O principal motivo da visita de Francisco foi prestar homenagem a Jacques-Désiré Laval, padre francês que ajudou ex-escravos no século 19.

Ler matéria completa