Bauru e grande região

Internacional

Brasileiros na Austrália tiveram que sair às pressas de suas casas

por FolhaPress

12/01/2020 - 06h00

São Paulo - Fernanda Gazal, consultora de imagem que vive na Austrália há quatro anos, morava na cidade costeira de Port Macquarie e já se planejava para se mudar no fim de novembro para Sydney, a cerca de 400 km, mas o fogo a obrigou a sair às pressas, no começo de outubro. 

A estudante de música Tainá de Oliveira Mourão, que mora em Sydney, também teve a vida afetada pelos incêndios. A fumaça que chegou à cidade provocou uma reação alérgica que a levou ao consultório médico. "Começaram a surgir hematomas roxos. A médica que me examinou disse que tive uma reação alérgica forte por ingestão de fumaça", diz. 

Pedro Henrique Silva Pelicioni, doutorando de saúde pública na Universidade de Nova Gales do Sul, tem asma e precisou voltar a usar bombinhas.

Esses são alguns relatos de brasileiros que vivem em Sidney e, mesmo que a cidade não tenha sido afetada diretamente pelo fogo, viram a vida mudar pelos focos de incêndio que atingem o país desde setembro.

Diante da situação, brasileiros que vivem na cidade reuniram voluntários e estão viajando para regiões afetadas próximas para ajudar nos reparos e na reconstrução de casas e fazendas afetadas. 

Eles são voluntários em entidades, como o apoio do Blaze Aid, uma ONG que há anos socorre a população australiana em catástrofes.

Ler matéria completa