Bauru e grande região

Internacional

Irã anuncia prisão de envolvidos em derrubada acidental de avião

Protestos contra autoridades iranianas continuaram mesmo após anúncio de que responsável será levado à Justiça

por FolhaPress

15/01/2020 - 06h00

Social Media

Manifestantes protestam em Teerã, em imagem obtida em rede social: desculpas não servem

Teerã - O Irã anunciou nesta terça-feira (14) que prendeu pessoas acusadas de envolvimento na derrubada acidental de um avião ucraniano na semana passada, que matou 176 pessoas. 

No entanto, o governo do país não detalhou quantas pessoas foram presas, nem seus nomes e cargos.

"Investigações amplas estão sendo feitas e alguns indivíduos foram presos", disse Gholamhossein Esmaili, porta-voz do Ministério da Justiça, à imprensa estatal.

DISCURSO

Pouco antes, o presidente iraniano Hassan Rowhani explicou, em discurso exibido pela TV, que todos os responsáveis pelo acidente deverão ser punidos. "Para nosso povo, é muito importante que qualquer pessoa que tenha tido culpa ou sido negligente seja levado à Justiça. O Judiciário deve formar uma corte especial com dezenas de especialistas. Este não é um caso comum. O mundo todo estará de olho nesta corte", disse Rowhani.

A revelação de que militares derrubaram o avião gerou uma onda de protestos no país contra o governo, que já dura quatro dias. Manifestantes pedem a renúncia do líder supremo, o aiatolá Ali Khamenei.

Vídeos desta terça mostram estudantes gritando "onde está a Justiça?" em frente a duas universidades de Teerã.

Os manifestantes acusam a polícia de usar munição letal para dispersar os atos. Ao menos 30 pessoas foram presas por participar de atos considerados ilegais, segundo o governo informou nesta terça.

O Irã levou alguns dias para reconhecer que a Guarda Revolucionária do país tinha derrubado o avião. No sábado (11), o general Amir Ali Hajizadeh, comandante da seção aeroespacial, assumiu a culpa pelo erro em uma declaração à TV estatal. "Preferiria estar morto a testemunhar um acidente semelhante", afirmou.

Ler matéria completa