Bauru e grande região

 
Internacional

Cloroquina eleva risco de morte, aponta estudo

Pesquisa foi realizada com 96 mil pacientes em 671 hospitais de seis continentes

por Reuters

23/05/2020 - 06h00

Washington - Um novo estudo feito com mais de 96 mil pessoas internadas com Covid-19 em 671 hospitais de seis continentes indica que quem tomou hidroxicloroquina e cloroquina teve aumento significativo do risco de morte pela Covid-19. Este é o maior estudo realizado sobre o uso dos medicamentos no tratamento da Covid-19.

O resultado foi publicado na revista científica inglesa The Lancet, uma das mais prestigiosas do mundo. Foram analisados dados obtidos entre 20 de dezembro de 2019 e 14 de abril de 2020. Todos os pacientes tiveram alta hospitalar ou morreram até o dia 21 de abril. Segundo os pesquisadores, não foi possível comprovar qualquer benefício da administração da cloroquina ou da hidroxicloroquina.

Dos 96.032 pacientes com Covid-19 foram hospitalizados durante o período do estudo. Desses, 14.888 estavam nos grupos que receberam tratamentos (1.868 receberam cloroquina, 3.783 receberam cloroquina associada a antibióticos, 3.016 receberam somente hidroxicloroquina e 6.221 receberam hidroxicloroquina associada a antibióticos). Outros 81.144 estavam no grupo controle. Cerca de 11% dos pacientes do estudo morreram.

O grupo de pacientes que recebeu o medicamento em alguma das quatro modalidades teve maior mortalidade do que o grupo controle, segunda a pesquisa.

Ler matéria completa