Bauru e grande região

 
Internacional

Férias de verão trazem repique e Europa aumenta restrição

por FolhaPress

28/07/2020 - 05h00

"As máscaras ajudam todos a lembrarem que a pandemia não acabou", disse o premiê austríaco, Sebastian Kurz, ao anunciar que cobrir o rosto voltou a ser obrigatório. O alerta vem sendo repetido por vários governos europeus, depois que o início das férias de verão veio acompanhado de novos contágios por coronavírus.

Na Áustria, os novos casos passaram de 7/100 mil habitantes (na quinzena que terminou em 1º de julho) para 17 (na que se encerrou neste domingo, 26), ainda bem abaixo dos 100 novos casos/100 mil registrados em abril. Mas o governo acendeu o alerta amarelo porque avalia que as pessoas estão baixando perigosamente a guarda.

O mesmo fenômeno foi registrado na França (15 casos quinzenais/100 mil habitantes neste domingo), na Bélgica (25/100 mil) e na Espanha (39,4/100 mil), e nos três países governos fizeram alertas ou apertaram medidas.

A reação para sufocar novos focos antes que eles se espalhem ocorreu até mesmo em países onde não há tendência de alta, como na Alemanha (8 casos quinzenais/100 mil) e no Reino Unido (15/100 mil). "Nenhum país está livre", afirmou neste domingo a Organização Mundial da Saúde.

Dos 19 maiores países europeus analisados pela reportagem, 10 registraram aumento no número de novos casos desde o começo de julho, todos em nível bem inferior ao do pico de abril. Em todos eles, o índice de mortes se manteve baixo, já que os hospitais não estão mais sobrecarregados e o conhecimento sobre como tratar casos graves avançou.

Dos 9 países restantes, 8 mantiveram em julho infecções em baixa. A Polônia também manteve a curva, mas está num platô, sem registrar decréscimo.

Ler matéria completa