Bauru e grande região

 
Internacional

Belarus terá crédito de US$ 1,5 bilhão

Presidente russo, Vladimir Putin, anuncia empréstimo à Belarus e o ditador Lukachenko admite reformar a Constituição

por FolhaPress

15/09/2020 - 05h00

Kremlin

Aleksander Lukachenko e Vladimir Putin selam acordo na Rússia

Bruxelas  - O presidente russo, Vladimir Putin, prometeu apoio financeiro e declarou apoio político ao ditador da Belarus, Aleksander Lukachenko, após reunião entre os dois líderes em Sochi, na Rússia, nesta segunda (14).

"Concordamos que a Rússia concederá à Belarus um empréstimo estatal de US$ 1,5 bilhão (cerca de R$ 8 bilhões) neste momento difícil e cumpriremos esse acordo", disse o presidente russo, em mensagem transmitida pela TV Russia Today.

Putin classificou como "lógica, oportuna e conveniente" a proposta de Lukachenko de reformar a Constituição da Belarus. O ditador bielorrusso tem oferecido a revisão constitucional como solução para os que pedem sua renúncia desde a última eleição, em 9 de agosto.

O resultado oficial, que lhe deu mais de 80% dos votos, foi considerado por parte da população bielorrussa e por instituições e governos internacionais como evidência de fraude.

Em entrevista a jornalistas russos na semana passada, Lukachenko disse que poderia considerar eleições antecipadas após uma reforma da Constituição.

O presidente russo repetiu que os bielorrussos devem resolver seus problemas internamente, ou seja, que não deve haver interferência do Ocidente.

"Todos sabemos que estão a decorrer eventos políticos internos na Belarus, relacionados com estas eleições. Defendemos os próprios bielorrussos, sem quaisquer estímulos e pressões de fora, de forma serena e em diálogo uns com os outros, cheguem a uma solução comum", disse Putin no comunicado final.

O presidente russo considera fundamental manter a Belarus sob sua esfera de influência, porque o território bielorrusso separa seu país das tropas da Otan instaladas na União Europeia e porque é território de passagem para o gás e o petróleo russos exportados para o Ocidente.

A Rússia é o maior investidor externo na Belarus, onde está construindo uma usina nuclear orçada em US$ 10 bilhões (R$ 53 bi). Mais de 50% do faturamento do comércio exterior bielorrusso vem do país vizinho, e quase 2.500 empresas com capital russo operam na Belarus.

"A Rússia continua comprometida com todos os nossos acordos, inclusive os decorrentes do Tratado sobre o Estado da União [que estabelece uma associação entre os dois países, e que Putin planeja aprofundar]", disse o líder russo.

Putin acrescentou que espera que sua declaração sobre o empréstimo "se reflita também nos mercados financeiros". Desde o começo dos protestos na Belarus, o rublo bielorrusso teve forte desvalorização em relação ao euro e ao dólar.

"A economia está acima de tudo. Sempre aderimos a esta linha. Precisamos ficar mais próximos de nosso irmão mais velho", disse Lukachenko, usando a metáfora familiar que costuma atribuir à Rússia.

Ler matéria completa