Bauru e grande região

 
Internacional

Caças russos estrelam propaganda eleitoral

Equipe de Trump não se pronunciou sobre a gafe histórica em campanha

por FolhaPress

16/09/2020 - 05h00

Nova York - Acostumado a ser acusado de ter tido uma mãozinha do Kremlin na campanha de 2016, o presidente Donald Trump entregou uma prova incontestável da presença russa em sua tentativa de ficar na cadeira em novembro.

Não é exatamente um escândalo, contudo. A campanha de Trump montou uma peça de propaganda digital que pedia ao eleitor: "Apoie nossa tropas", com uma foto dramática de soldados e três caças no contraluz.

A associação presumida era a de que votar em Trump seria bom para os militares americanos. No caso, russos: a foto utilizada pelos marqueteiros era de caças "made in Russia" sobrevoando soldados do país de Vladimir Putin.

O erro é clássico: algum membro do time de marketing procurou uma foto de militares no banco de imagens Shutterstock, sempre acessado por agências de publicidade atrás de composições que combinem com o slogan planejado.

O problema é o simbolismo da coisa. Os aviões eram três MiG-29, um dos aparelhos mais famosos da Força Aérea Russa. Desenvolvido pelos soviéticos no fim dos anos 1970, equipou o bloco comunista e foi um dos símbolos da corrida armamentista que explodiu nos anos 1980.

Desde o fim da Guerra Fria, em 1991, foi preterido pelos modelos mais avançados da Sukhoi pelo Kremlin.

Ainda assim, há 144 MiG-29 em operação na Rússia.

A campanha de Trump não comentou a gafe, veiculada como campanha para arrecadar fundos para a eleição de 8 a 12 de setembro pelo Comitê Nacional Republicano. Nas redes sociais, começaram a pulular piadinhas sobre os russos vindo ajudar o republicano, que enfrenta dificuldades em sua disputa contra o democrata Joe Biden.

Ler matéria completa