Bauru e grande região

Internacional

Posse de Biden terá reforço de 20 mil soldados da Guarda Nacional

Capitólio já tem segurança reforçada e o mesmo acontecerá na Casa Branca

por FolhaPress

14/01/2021 - 05h00

Joshua Roberts/Reuters

Dezenas de guardas cochilavam ontem no chão do Capitólio

Washington - Centenas de militares da Guarda Nacional dos EUA foram fotografados deitados no chão de pedra do Capitólio, muitos agarrados às suas armas, na manhã de quarta-feira, dia em que a Câmara dos Representantes votou a instauração do segundo processo de "impeachment" (destituição) a Donald Trump.

Em meio ao temor de novos episódios de violência em Washington, as autoridades locais requisitaram um aumento no tamanho do reforço que fará a segurança da cidade durante a posse de Joe Biden como presidente dos EUA, que está está marcada para a próxima quarta-feira (20).

Assim, agora mais 20 mil soldados da Guarda Nacional devem estar nas ruas durante a cerimônia, anunciou nesta quarta (13) o chefe da polícia local, Robert Contee - as informações iniciais eram que seriam 15 mil.

O número agora é maior que a atual quantidade de soldados americanos no Afeganistão e no Iraque. E o contingente ainda pode aumentar para a casa de 30 mil agentes, caso as autoridades considerem necessário.

Além da Guarda Nacional, as polícias metropolitana e legislativa também devem ajudar na segurança durante a posse, todas sob coordenação do Serviço Secreto.

O objetivo da medida é evitar a repetição das cenas da última quarta (6), quando apoiadores de Donald Trump invadiram o Capitólio - a sede do Congresso - em uma ação que deixou cinco mortos. 

De acordo com a rede de TV CNN, o governo americano estuda inclusive aumentar o nível de alerta para um ataque terrorista na capital durante a posse.

PRISÃO

A polícia do estado da Virgínia informou que o homem que invadiu o Congresso dos Estados Unidos na semana passada usando uma blusa com os dizeres "Campo de Auschwitz" foi preso nesta quarta-feira (13). De acordo com a CNN americana, ele foi identificado como Robert Keith Packer.

Ler matéria completa