Bauru e grande região

Internacional

Mulher é executada pela 1ª vez em 70 anos

Lisa Montgomery estava no corredor da morte desde 2007, nos Estados Unidos

por FolhaPress

14/01/2021 - 05h00

Reprodução

Lisa: crime premeditado

Nova York  - O governo dos Estados Unidos executou, nesta quarta-feira (12), a assassina condenada Lisa Montgomery, 52 anos, a única mulher no corredor da morte federal. Era a primeira prisioneira a receber a pena capital desde 1953. Depois de uma disputa judicial em que a defesa de Montgomery pedia a anulação da sentença sob o argumento de que ela tinha uma doença mental, a Suprema Corte dos EUA decidiu anular a suspensão da execução concedida por instâncias inferiores da Justiça americana.

A mulher foi morta às 1h31 desta quarta (3h31 no horário de Brasília) depois de receber uma injeção letal em uma prisão na cidade de Terre Haute, em Indiana.

Montgomery foi condenada em 2007 por sequestrar e assassinar, três anos antes, uma gestante para roubar o feto. Antes de cometer o crime, ela disse a outras pessoas, incluindo seu marido, que estava grávida.

Usando o codinome Darlene Fischer, entrou em contato com a criadora de cachorros Bobbie Jo Stinnett, 23 anos, grávida de oito meses à época, e se disse interessada em comprar um filhote. Quando foi ao canil, Montgomery estrangulou Stinnett, extraiu o feto e fugiu com ele. A criança sobreviveu. Montgomery foi persuadida por investigadores a admitir a culpa pelo crime, mas, segundo eles, nunca demonstrou nenhum arrependimento.

Familiares de Stinnett viajaram para testemunhar a execução. Questionada se gostaria de dizer alguma última palavra antes de receber a injeção letal, Montgomery respondeu com voz baixa e abafada: "Não", de acordo com um jornalista que serviu como testemunha da execução.

Ler matéria completa