Bauru e grande região

Internacional

Biden cumpre promessa e anuncia restrições a armas

Projeto tenta conter 'epidemia' de violência nos Estados Unidos

por FolhaPress

09/04/2021 - 05h00

Casa Branca

Joe Biden anunciou nesta quinta (8) uma série de ações executivas para conter a violência armada

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou nesta quinta-feira (8) uma série de ações executivas para conter a violência armada, depois que dois ataques a tiros no mês passado, em Atlanta e Boulder, somaram 18 vítimas às estatísticas de mortes por armas de fogo no país.

"A violência armada neste país é uma epidemia", disse Biden, acompanhado da vice-presidente Kamala Harris e do secretário de Justiça Merrick Garland, durante o pronunciamento na Casa Branca. "Se o Congresso agir ou não, eu vou usar todos os recursos à minha disposição para fazer com que os americanos fiquem seguros."

Entre as novas regras anunciadas pelo presidente, está uma que será elaborada pelo Departamento de Justiça nos próximos dias para ajudar a reduzir proliferação das "armas fantasmas", kits com peças e instruções que permitem ao comprador montar o próprio armamento e, assim, driblar a fiscalização das autoridades.

Outra regra a ser validada dentro dos próximos 60 dias determina que armas equipadas com os dispositivos conhecidos como "cintos estabilizadores", que tornam os disparos mais precisos e, portanto, mais letais, estarão sujeitas aos requisitos da Lei Nacional de Armas de Fogo.

O autor do ataque em Boulder, no Colorado, que matou dez pessoas em um supermercado em 22 de março, usava um desses cintos estabilizadores, de acordo com as autoridades. Na prática, esses dispositivos transformam pistolas em fuzis de cano curto, o que aumenta seu potencial de dano.

SEIS MORTOS

O governo também lamentou a morte do ex-jogador profissional da NFL Phillip Adams, de 32 anos, que jogou em times como o New England Patriots ao lado de Tom Brady, marido de Gisele Bündchen, foi identificado como o atirador que matou cinco pessoas na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, se suicidando depois, na tarde de quarta-feira (7).

Segundo a imprensa americana, as vítimas são o médico do jogador, Robert Lesslie, de 70 anos, sua esposa, Barbara Lesslie, de 69, e seus dois netos, Adah, de 9, e Noah, de 5. Um homem que trabalhava do lado de fora da casa do médico James Lewis, de 38, também foi morto e uma sexta pessoa foi hospitalizada em estado grave.

ATIRADOR TEXAS

Várias pessoas ficaram feridas nesta quinta-feira (8) durante um tiroteio dentro de um estabelecimento comercial em Bryan, Texas, disse a polícia. O atirador não foi preso. O tenente de polícia Jason James disse que várias pessoas ficaram feridas. No momento, não se sabe se há mortes.

A polícia já entrevistou funcionários, disse James, e as testemunhas identificaram um suspeito.

A cidade de Bryan fica a cerca de 160 quilômetros a noroeste de Houston. A ocorrência ainda estava em andamento no fechamento desta edição.

Ler matéria completa