Bauru e grande região

Internacional

Pandemia: casos de Covid-19 na Índia crescem e no Brasil caem

Segundo a OMS, os dois países responderam a mais da metade de casos globais em média de registros em sete dias

por Gabriel Caldeira

04/05/2021 - 05h00

Reuters

Queda de casos após vacinação em massa ainda vai demorar

Genebra - Os casos de Covid-19 nas últimas semanas superam os registros dos primeiros seis meses da pandemia  com Índia e Brasil, juntos, respondendo por mais da metade das infecções nos últimos sete dias, segundo afirmou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (3). 

Cientista chefe do órgão multilateral, Sumya Swaminathan disse que a vacinação na Índia não será suficiente para diminuir agora os casos da doença, já que o processo de imunização demora "algum tempo" para ter efeito sobre o alastramento do vírus. Por isso, disse, medidas sanitárias seguem necessárias. Ainda há, acrescentou Swaminathan, um problema de fornecimento de vacinas, diante das poucas doses disponíveis para uso no mundo inteiro.

Para mitigar este problema, Tedros disse que seria importante quebrar as patentes dos imunizantes para acelerar a produção. 

ÍNDIA PIORA

Depois de se tornar o primeiro país a registrar mais de 400 mil casos de Covid-19 em apenas um dia, a Índia ultrapassou o México e se tornou, nesta segunda-feira (3), o terceiro país com o maior número de mortos pelo coronavírus, atrás apenas dos Estados Unidos e do Brasil.

De acordo com dados compilados pela Universidade Johns Hopkins e pelo site Our World in Data, a Índia confirmou 3.417 óbitos neste domingo (2) e chegou à marca de 218.959 mortes --número oficial muito menor que o real, visto que o país de 1,4 bilhão de habitantes enfrenta não apenas um colapso no sistema de saúde mas também a subnotificação de casos e mortes.

No ranking dos países mais afetados pela pandemia, os EUA seguem na primeira posição, com 577.045 óbitos. O Brasil, com mais de 407 mil mortes, ocupa o segundo lugar, mas, dos três países, é o que tem a maior média móvel de mortes no cálculo proporcional à população. São 11,32 a cada milhão de habitantes, contra 2,47 da Índia e 2,06 dos EUA.

BRASIL MELHORA

O Brasil registrou 1.054 novos óbitos em decorrência da Covid-19 nas últimas 24 horas, segundo dados reunidos pelo consórcio de veículos de imprensa. A média móvel diária de mortes, que leva em consideração números dos últimos sete dias, ficou em 2.375 nesta segunda-feira, 3, uma redução de 16% em duas semanas. Apesar da tendência de queda, o País vê a pandemia se manter em um alto patamar.

Europa sugere abertura a viajantes vacinados

A Comissão Europeia, braço executivo da União Europeia (UE), recomendou nesta segunda-feira que cidadãos estrangeiros que tenham sido totalmente vacinados contra a Covid-19 e indivíduos vindos de países com boa situação epidemiológica tenham permissão de viajar ao bloco sem restrições adicionais.

A princípio, a regra valeria para vacinas aprovadas pela UE, mas poderá ser estendida a imunizantes que tenham recebido aval da Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo comunicado da Comissão. O órgão também propôs elevar o patamar para o número de novos casos de covid-19 utilizado para determinar a lista de países dos quais viagens serão permitidas. Isso deverá permitir ampliar a lista de nações com autorização de entrada na UE.

Já para limitar a importação de novas variantes, a comissão sugere um novo "freio de emergência", que garantiria a rápida adoção de restrições a viagens de países suja situação sanitária se deteriore de forma acentuada, diz o comunicado.

Os integrantes da UE devem começar a discutir a proposta da Comissão nesta terça-feira (4). Um acordo é necessário para que as recomendações entrem em vigor.

Ler matéria completa