Bauru

Internacional

Peru: Castillo se declara vencedor

Órgão eleitoral peruano pede que se espere o fim da apuração, porque havia ainda a chegada de votos do Exterior

por FolhaPress

10/06/2021 - 05h00

Reuters

Pedro Castillo comemora no comitê do seu partido e pede para povo não 'cair em provocação'

Lima - Pedro Castillo se declarou (8) vencedor da eleição presidencial peruana. Da varanda do comitê de seu partido, o Perú Libre, no centro de Lima, o candidato de esquerda afirmou que o "povo falou" e que, "de acordo com o relatório de nossos fiscais, já temos o resultado". "Vimos que o povo impôs essa vitória por meio das urnas. Por isso, peço a vocês para não caírem em provocações."

Na manhã desta quarta, com 99,79% das urnas contabilizadas, a vitória de Castillo parece irreversível, já que ele ostenta 50,2% dos votos, enquanto Keiko Fujimori tem 49,7%. Ainda assim, Júri Nacional de Eleições não fez nenhum pronunciamento oficial confirmando o resultado e esperava, para o começo da tarde, a chegada de votos depositados no exterior, de países como Chile e Brasil. Essa fatia é importante porque soma quase 1 milhão de eleitores. Os que faltam chegar, no entanto, não chegam a 2% dessa cifra. Com 89,5% das urnas vindas de fora do país já apuradas, Keiko teve 66% dos votos de expatriados e Castillo, 34%. Diferença insuficiente para reverter o cenário.

A perspectiva de que o panorama já está definido é tão forte que um dos analistas políticos mais respeitados do Peru, David Sulmont, especializado em estatística eleitoral, publicou em redes sociais acreditar que o ciclo eleitoral acabou e que "Castillo será o novo presidente".

KEIKO

Keiko, que, na noite de segunda-feira (7), depois de ser ultrapassada pelo adversário na apuração, acusou a existência de "fraude sistêmica" no pleito. 

O Júri Nacional de Eleições, porém, informou que a Missão de Observadores da União Interamericana de Órgãos Eleitorais apresentou um relatório no qual afirma que o pleito peruano ocorreu de modo regular e com êxito.

A declaração foi corroborada pela Missão de Observação Eleitoral da OEA, composta por 40 membros.

Ler matéria completa