Bauru

Internacional

Papa fala em portas abertas para refugiados

Francisco está na Eslováquia onde hoje 65% da população se diz católica

por FolhaPress

14/09/2021 - 05h00

Vatican News

Papa Francisco beija crucifixo na Catedral de São Martinho

Bratislava  - Em visita oficial à Eslováquia, o papa Francisco criticou, nesta segunda-feira (13), o individualismo e o egoísmo da sociedade, deixando claro o apoio da Igreja Católica ao recebimento de imigrantes em países europeus. Mensagem semelhante já havia sido expressa no domingo (12), quando o pontífice visitou Budapeste, capital da Hungria.

O papa também dirigiu um apelo aos líderes para que façam de um pacote trilionário elaborado pela União Europeia para a retomada da economia do bloco pós-pandemia uma oportunidade de intensificar a distribuição de renda no continente.

"Nessas terras, até poucas décadas atrás, um único sistema de pensamento [comunismo] sufocava a liberdade. Hoje, outro sistema de pensamento único está esvaziando a liberdade de significado, reduzindo o progresso ao lucro e os direitos apenas às necessidades individuais", disse.

A Eslováquia --onde 65% da população se diz católica-- era parte da Tchecoslováquia durante a era comunista, mas tornou-se independente em 1993, quando o regime já havia caído. Desde então, a economia eslovaca, como a de outros países do leste europeu, cresceu.

Francisco se referiu à história local como uma "mensagem de paz", destacando o nascimento "sem conflitos" de dois países independentes há 28 anos: a República Tcheca e a Eslováquia.

Dirigindo-se à presidente eslovaca, Zuzana Caputova, a autoridades e diplomatas no jardim do palácio presidencial, na capital Bratislava, o papa acrescentou: "Esta [fraternidade] é urgente agora, num momento em que, depois de meses muito duros de pandemia, se apresenta, junto com muitas dificuldades, uma esperada reativação econômica, favorecida pelos planos de recuperação da União Europeia".

Ler matéria completa

×