Bauru

Internacional

EUA recomendam vacinar só os idosos

Terceira dose é recomendada para maiores de 65 anos por conselho dos EUA e frusta planos do governo Biden de vacinar toda a população

por FolhaPress

19/09/2021 - 05h00

Kathy Hochul, governadora de Nova York, atesta aumento de mortes

Washington - O conselho do FDA (órgão que fiscaliza medicamentos nos Estados Unidos) recomendou a aplicação da terceira dose da vacina da Pfizer contra a Covid apenas para maiores de 65 anos e pessoas com riscos graves de complicações pela doença.

A decisão desta sexta-feira (17) vai contra os planos do governo de Joe Biden, que avaliava dar o reforço a toda a população, oito meses após a segunda dose.

O colegiado da agência reguladora dos EUA rejeitou o pedido para aplicar o reforço a todos com mais de 16 anos. A maioria do comitê considerou que os estudos apresentados pela Pfizer sobre a aplicação da terceira dose na população em geral são insuficientes.

Análises para o reforço de vacinas de outros fabricantes, como Moderna e Janssen, estão em etapas anteriores de pesquisa.

O FDA não é obrigado a acatar a decisão do conselho, mas costuma seguir as recomendações desse grupo, que é formado por cientistas, médicos e estatísticos independentes.

Caso a agência aprove o uso, um grupo de especialistas do CDC (Centro de Controle de Doenças) deve se reunir na semana que vem para definir como será feita a aplicação da terceira dose.

Em agosto, a Casa Branca havia anunciado planos de iniciar a aplicação da dose de reforço na semana de 20 de setembro para a população em geral, mas ainda dependia do aval do FDA.

O governo disse à época que o reforço seria dado oito meses após a imunização ter sido completada.

MAIS CASOS

A nova governadora de Nova York disse que o número de mortos por Covid-19 do estado agora se alinha com a contagem dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, depois que o estado acrescentou quase 12.000 mortes que a administração do ex-governador Andrew Cuomo não contabilizou oficialmente.

O anúncio da governadora democrata Kathy Hochul significa que o número de mortos por Covid-19 em Nova York passa dos 55 mil. 

Doses o suficiente de todas as três vacinas para reforço

Os Estados Unidos têm imunizantes suficientes contra a Covid-19 para garantir a dose de reforço à população, disse o coordenador da força-tarefa da Casa Branca, Jeff Zients, em coletiva à imprensa.

Os cidadãos americanos poderão receber o reforço de qualquer um dos três fabricantes cujas vacinas são autorizadas no país - Moderna, Pfizer/BioNTech e Johnson & Johnson -, assim que houver a recomendação e aprovação pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) e Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA, a Anvisa americana), afirmou Zients.

No planejamento da força-tarefa, a aplicação das doses de reforço para a população geral teria início na próxima semana.

O cirurgião geral do país, Dr. Vivek Murthy, reforçou a importância da programação, preparação e logística para a aplicação das doses e disse que os EUA estão prontos para quando chegar o momento de o imunizante de reforço ser aplicado.

Quanto às doações para outros países, Zients informou que os EUA já enviaram mais de 140 milhões de doses para mais de 100 países até o momento.

EXIGÊNCIA

Zients também afirmou que exigências de vacinação contra a Covid-19, feitas por empresas, "funcionam e são boas para a economia". "Você não precisa ser um economista para entender por que a vacinação também impulsionará o mercado de trabalho e a economia em geral", disse.

Segundo Zients, o porcentual de funcionários vacinados na American Airlines subiu de 59% para 90% em seis semanas, dadas as exigências. A Fox News, por sua vez, informou que 90% de seus funcionários estão totalmente vacinados contra a Covid-19. O canal de televisão tradicionalmente conservador exigiu que os trabalhadores apresentassem comprovante de vacinação ou se submetessem a testes frequentes.

Ler matéria completa

×