Bauru

Internacional

Estados Unidos vão flexibilizar entrada de viajantes vacinados

EUA irão autorizar a entrada de pessoas de 33 países, entre eles os viajantes do Brasil, a partir do mês de novembro

21/09/2021 - 05h00

Reuters

Zients anuncia plano para abrir restrições que vigoram desde 2020

Washington - Os Estados Unidos voltarão a permitir a entrada de viajantes do Brasil e de outros países, como China, Índia e Reino Unido desde que estejam completamente vacinados contra a Covid-19 a partir do início de novembro, anunciou o coordenador da resposta à pandemia na Casa Branca, Jeff Zients, nesta segunda-feira (20).

Segundo Zients, o plano, que reverte a decisão tomada há 18 meses, em março de 2020, é retomar as permissões de entrada gradualmente, à medida que as autoridades definam novos requisitos. 

As viagens internacionais são essenciais para conectar famílias e amigos, para abastecer pequenas e grandes empresas, para promover o intercâmbio aberto de ideias e de cultura, disse Zients. É por isso que, com a ciência e a saúde pública como nosso guia, desenvolvemos um novo sistema de viagens aéreas internacionais que aumenta a segurança dos americanos aqui em casa e aumenta a segurança das viagens aéreas internacionais.

SEM QUARENTENA, COM TESTES

Ainda que estejam com o esquema de vacinação completa, os viajantes que quiserem voar aos EUA deverão apresentar testes de Covid-19 com resultado negativo e data de até três dias antes da viagem. Em solo americano, porém, os imunizados não serão mais obrigados a cumprir quarentena.

Também não está claro se haverá alguma restrição a respeito das marcas de vacinas consideradas aceitáveis pelo governo americano. Em sua campanha, os EUA têm utilizado os imunizantes Pfizer, Janssen e Moderna. Zients afirmou nesta segunda que a decisão de estabelecer critérios nesse sentido para a entrada de viajantes caberá ao Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC).

Ramos intima Queiroga a cobrar Johnson sobre brasileiros

Enquanto esperavam o presidente Jair Bolsonaro para o café da manhã nesta segunda-feira, no hotel onde estão hospedados em Nova York, os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria-Geral da Presidência) e Marcelo Queiroga (Saúde) conversaram sobre o encontro bilateral com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, ocorrido ontem (leia na página 15). "Você vai lá no Boris?", perguntou Ramos. Assim que Queiroga respondeu assertivamente, o general recomendou: "Põe o pau na mesa. Libera lá pros brasileiros, pô".

Ramos não percebeu que havia jornalistas no lobby do hotel ao falar com Queiroga. 

Nos últimos dias, o Reino Unido alterou as regras de autorização de entrada de viajantes e flexibilizou a chegada de passageiros internacionais. O Brasil, no entanto, continua na lista vermelha, na qual, independentemente do comprovante de vacinação, é necessário fazer quarentena de 10 dias na chegada à Inglaterra.

Johnson teria admitido tirar o Brasil da lista vermelha ainda em outubro.

Ler matéria completa

×