Bauru

Internacional

Portugal anuncia reabertura total

Casas noturnas e bares serão liberados, mas premiê António Costa optou por exigência do certificado de vacinação

por FolhaPress

24/09/2021 - 05h00

Valter Campanato/Agência Brasil

Costa pede responsabilidade à população: 'pandemia não acabou'

Lisboa - Com 83,4% da população completamente vacinada, o percentual mais alto no mundo, Portugal concluirá o processo de reabertura total do país em 1º de outubro.

Os detalhes da última etapa do plano de desconfinamento foram anunciados em rede nacional, na tarde desta quinta-feira (23), pelo primeiro-ministro António Costa. O líder socialista exaltou o papel da vacinação na reabertura e pediu responsabilidade aos cidadãos.

"Passamos a uma fase baseada na responsabilidade individual. Não podemos nos esquecer de que a pandemia não acabou e que, embora controlado, o risco permanece. Sabemos que há uma faixa muito pequena de recusas de vacinação. Sabemos que toda a população com menos de 12 anos não está vacinada e, por isso, o risco existe", afirmou.

Fechados desde o começo da pandemia, em março de 2020, bares e discotecas finalmente poderão voltar a funcionar. A entrada nesses estabelecimentos, no entanto, estará condicionada à apresentação de certificado de imunização ou teste negativo para a Covid-19.

MÁSCARAS EM

ALGUNS LUGARES

O uso de máscaras, que deixou de ser obrigatório nas ruas em 13 de setembro, também não será mais exigido para frequentadores do comércio local, ainda que a utilização da proteção siga obrigatória nos transportes públicos, em grandes estabelecimentos comerciais, em visitas a hospitais e casas de repouso e em espetáculos culturais onde não há distanciamento mínimo de dois metros entre os espectadores.

Restaurantes, por sua vez, deixarão de ter limites de lotação e de horário de funcionamento, além de não precisarem mais exigir a apresentação de certificado de vacinação ou de teste negativo para a Covid-19 para os clientes que utilizarem os espaços internos dos locais.

Da mesma forma, a apresentação do passe sanitário também deixa de ser obrigatória para o check-in em hotéis, apartamentos de temporada e aulas das academias de ginástica.

No entanto, o documento -que atesta vacinação completa, recuperação da Covid há menos de 6 meses ou teste negativo para o vírus- seguirá importante na "normalização da vida" dos portugueses, porque, além de ser exigido nas casas noturnas, o certificado sanitário segue obrigatório em viagens aéreas e marítimas, em estabelecimentos hospitalares e para a entrada em grandes eventos esportivos e culturais.

Por outro lado, deixa de haver limitação à lotação de estabelecimentos comerciais, espetáculos culturais, casamentos, batizados e outras celebrações.

Ler matéria completa

×