Bauru

Internacional

Ortega aumenta cerco à imprensa

Órgãos independentes no país estão sofrendo repressões na Nicarágua

por FolhaPress

04/08/2022 - 05h00

Manágua - O principal jornal da Nicarágua foi obrigado a retirar clandestinamente todos os seus funcionários do país devido à intensificação do cerco contra a liberdade de expressão promovido pelo regime do ditador Daniel Ortega.

Segundo a organização Repórteres Sem Fronteiras (RSF), os últimos funcionários do jornal La Prensa deixaram a Nicarágua entre os dias 9 e 25 de julho. "Isso significa que, como resultado da intensificação da perseguição, todos os empregados do jornal estão trabalhando fora do país", afirmou o grupo, em nota.

Para Emmanuel Colombié, diretor do escritório de RSF para a América Latina, a situação evidencia que a imprensa independente em Manágua, capital do País, está morrendo. "O aparato repressivo estabelecido por Ortega para silenciar os jornalistas é aterrorizante e intolerável. Vozes críticas às autoridades estão desaparecendo inexoravelmente."

A entidade relatou que na noite de 6 de julho a polícia realizou operação na capital nicaraguense, na qual foram realizadas operações de buscas na casa de vários funcionários do veículo —ao menos um jornalista, um fotógrafo, um assistente administrativo e dois motoristas.

Estes últimos, cujos nomes foram omitidos por questões de segurança, acabaram presos na ocasião, sem acusação formal ou justificativa apresentada pelas autoridades. Alertados, os demais funcionários cujas casas foram revistadas se esconderam e conseguiram evitar a prisão. Depois, fugiram clandestinamente.

Ler matéria completa

×