Bauru

Internacional

China dispara dezenas de mísseis no maior exercício militar contra Taiwan

Ação pode ter atingido outro alvo e cinco desses mísseis podem ter atingido águas de exploração comercial do Japão

por FolhaPress

05/08/2022 - 05h00

Reuters

Telão transmite ação, em tempo real, no centro de Pequim

Taipé - A China disparou ao menos 11 mísseis balísticos em direção a Taiwan nesta quinta (4), iniciando os exercícios militares em retaliação pela visita de a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, à ilha que Pequim reclama como sendo sua. 

As armas eram mísseis de curto alcance DF-11, a julgar por vídeos distribuídos pela imprensa chinesa, disparados de um arquipélago chamado Pingtan, que fica a cerca de 125 km de Taiwan. Segundo o governo da ilha autônoma, eles atingiram alvos na água, enquanto veículos como o nacionalista Global Times disseram que eles sobrevoaram território taiwanês.

Os exercícios são desenhados para mostrar como seria feito um bloqueio aeronaval da ilha, já que Pequim divulgou seis áreas de manobras em torno do território.

Segundo o Ministério da Defesa de Taiwan, os projeteis foram lançados em ondas sucessivas por duas horas, a partir de aproximadamente 14h (3h no Brasil). A China diz que eles estavam equipados com ogivas convencionais, tornando esse o maior exercício de tiro com munição real no estreito de Taiwan na sua história.

JAPÃO

Ocorre que ao menos cinco mísseis balísticos disparados pela China parecem ter atingido o mar do Japão, na Zona Econômica Exclusiva do Japão (ZEE), disse o ministro da Defesa japonês, Nobuo Kishi, nesta quinta-feira (4), acrescentando que este foi o primeiro incidente desse tipo. Não houve relatos de pânico em Taiwan, que já está em alerta militar máximo desde que Pelosi desembarcou na ilha, na terça (3) à noite.

A americana está em um giro asiático e fez a primeira visita de uma autoridade de seu nível à ilha em 25 anos, sob intensos protestos chineses, que consideram isso um apoio à independência nunca proclamada de Taiwan. Ela passou a quarta (3) em Taipé, estava ontem na para a Coreia do Sul e hoje chega ao Japão. 

Coreia do Norte

A presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, e o presidente da Assembleia Nacional da Coreia do Sul, Kim Jin-pyo, prometeram nesta quinta-feira (4) apoiar a campanha de desnuclearização da Coreia do Norte.

"Ambos os lados expressaram preocupação com a terrível situação da crescente ameaça da Coreia do Norte", disseram Pelosi e o presidente da Assembleia Nacional da Coreia do Sul, Kim Jin-pyo, em comunicado conjunto após reunião em Seul.

Ler matéria completa

×