Bauru e grande região

Nacional

Israel quer anexar Vale do Jordão

Primeiro-ministro Netanyahu anuncia plano para que uma parte da Cisjordânia seja tomada se vencer eleição geral

por Reuters

11/09/2019 - 06h00

Amir Cohen/Reuters

Benjamin Netanyahu detalha o projeto em Ramat Gan próximo a Tel Aviv: decisão inesperada

Jerusalém - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciou nesta terça-feira sua intenção de anexar o Vale do Jordão, situado na Cisjordânia ocupada, se vencer a eleição geral da semana que vem.

"Hoje, anuncio minha intenção, após o estabelecimento de um novo governo, de aplicar a soberania israelense ao Vale do Jordão e ao norte do Mar Morto", disse Netanyahu em um discurso transmitido ao vivo em canais de televisão de Israel.

Netanyahu, que luta por sua sobrevivência política em uma eleição muito disputada, reafirmou uma promessa de anexar todos os assentamentos judeus na Cisjordânia, mas disse que tal medida não será adotada antes da publicação de um muito aguardado plano de paz dos Estados Unidos e consultas ao presidente norte-americano, Donald Trump.

Os EUA não comentaram o anúncio de imediato.

SEM PAZ

Em meio a relatos sobre um possível anúncio de uma anexação, e pouco antes de Netanyahu se pronunciar, o premiê palestino, Mohammad Shtayyeh, disse que o líder israelense é um "primeiro destruidor do processo de paz".

Vale

REUTERS

FILE PHOTO: Vehicles drive through a road in Jordan Valley, the eastern-most part of the Israeli-occupied West Bank that borders Jordan June 26, 2019. Picture taken June 26, 2019. REUTERS/Ammar Awad/File Photo Caption

O Vale do Jordão, que os palestinos pleiteiam para o perímetro leste de um Estado na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, se estende do Mar Morto, no sul, até a cidade israelense de Beit Shean, no norte. Israel capturou a Cisjordânia na Guerra dos Seis Dias de 1967.

O vale de 2.400 quilômetros quadrados represente quase 30% da Cisjordânia. Há tempos Israel diz que pretende manter o controle militar do território após qualquer acordo de paz com os palestinos.

Ler matéria completa