Bauru e grande região

Nacional

Sebrae: Lei da Liberdade Econômica deve ser aplicada

Presidente do órgão, Carlos Melles defende proposta aprovada há dois meses

por Agência Brasil

19/11/2019 - 06h00

Valter Campanato/Agência Brasil

Carlos Melles durante entrevista à imprensa: facilitar negócios

Brasília - A nova Lei da Liberdade Econômica deve facilitar o ambiente de trabalho para as pequenas e médias empresas do país. Essa é a opinião do diretor-presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Carlos Melles.

A lei foi sancionada pelo governo há cerca de dois meses. "A gente tem feito uma provocação de que é preciso acreditar um pouco mais em vencer limites e barreiras. Ainda há uma castração", disse a jornalistas na sede da entidade em Brasília, nesta segunda-feira (18), antes da abertura da Semana Global de Empreendedorismo.

"Nós devemos acreditar e começar a exigir a funcionabilidade da lei, da desregulamentação, da facilitação do ambiente de negócio. Ela é verdadeira, a desregulamentação chegou em várias áreas, [mas] ainda há máquinas paradas na alfândega esperando as NRs [normas regulamentadoras] que já não existem mais. Ou seja, é preciso acreditar um pouco mais nesse ambiente."

MUDANÇA

"A mudança de governo é muito forte, o modus operandi de governabilidade é muito forte. Nós entramos numa era muito clara, muito liberal do quase pode tudo e tira o Estado para não atrapalhar", avaliou Melles.

Melles destacou a proximidade do Sebrae com o governo. "Nós nos alinhamos às políticas de governo. Essa talvez seja uma posição muito clara que nós fizemos desde o começo, não dizendo que o governo precisa do Sebrae, mas que o Brasil precisa do Sebrae".

Ler matéria completa