Bauru e grande região

Nacional

Gasolina: Petrobras baixará preço

Petrobras reduzirá em 3% preço da gasolina e o diesel nas refinarias; etanol perde a competitividade em vários Estados

por Marta Nogueira

14/01/2020 - 06h00

Paulo Whitaker/Reuters

Tanques da Petrobras na refinaria de Paulínia: gasolina não sofre reajuste desde 1 de dezembro

Rio de Janeiro - A Petrobras reduzirá o preço médio da gasolina e do diesel nas refinarias em 3% a partir de terça-feira, informou a companhia à Reuters, na noite desta segunda-feira (13).

A gasolina não sofria um reajuste desde 1º de dezembro, enquanto o diesel - combustível mais comercializado do país - tinha a cotação estável desde 21 de dezembro.

A Petrobras tem reiterado que sua política de preços para a gasolina e o diesel segue o princípio da paridade de importação, formada pela cotação internacional dos produtos mais os custos de importadores, como transporte e taxas portuárias, com impacto também do câmbio.

O repasse dos ajustes de preço nas refinarias para o consumidor final nos postos depende de diversos fatores, como impostos, margens de distribuição e revenda e mistura de biocombustíveis.

ETANOL

Na semana terminada em 11 de janeiro, os preços médios do etanol eram mais vantajosos ante os da gasolina em apenas três Estados brasileiros: Mato Grosso, Minas Gerais e São Paulo. Em Goiás, onde o biocombustível era mais vantajoso até semana passada, a gasolina se tornou mais competitiva.

O levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas considera que o etanol de cana ou de milho, por ter menor poder calorífico, tenha um preço limite de 70% do derivado de petróleo nos postos para ser considerado vantajoso. Os preços médios do etanol hidratado subiram em 20 Estados e no Distrito Federal na semana encerrada em 11 de janeiro, de acordo com levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) compilado pelo AE-Taxas. Houve queda nos outros seis Estados brasileiros.

PARIDADE

Em Mato Grosso, o hidratado é vendido, em média, por 63,00% do preço da gasolina, em Minas Gerais a 67,96%, e em São Paulo a paridade ficou em 69,14%.

Na média dos postos pesquisados no País, a paridade é de 69,88% entre os preços médios de etanol e gasolina, também favorável ao biocombustível.

A gasolina foi mais vantajosa no Amapá, com a paridade de 95,56% para o preço do etanol.

Ler matéria completa