Bauru e grande região

Nacional

China tem 60 mil casos confirmados

Quase dois mil casos de coronavírus foram confirmados em 24 horas e número bate recorde; mortes chegam a 1,4 mil

por Estadão Conteúdo

14/02/2020 - 06h00

Carlos Garcia Rawlins/Reuters

100% dos atendimentos públicos são feitos com máscaras

Pequim - A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que, em 24 horas, mais 13.332 casos foram confirmados clinicamente na província de Hubei, na China. Com isso, o número de pessoas infectadas pelo vírus no país asiático chegou a mais de 60 mil.

O Brasil tem, atualmente, seis pessoas suspeitas de ter o coronavírus Covid-19. Os dados foram atualizados pelo Ministério da Saúde na tarde desta quinta-feira (13), após De quarta, quando havia 11 casos suspeitos, para hoje, seis casos foram descartados - três em São Paulo, dois no Rio de Janeiro e um em Minas Gerais - e um foi incluído, no Rio Grande do Sul.

Em entrevista coletiva em Genebra, Suíça, representantes da Organização atribuíram o aumento à mudança no método de diagnóstico da doença, que ficou mais ágil. "Em Hubei, médicos treinados podem agora classificar casos suspeitos como clinicamente confirmados baseados em exames de imagem, não por confirmação laboratorial", disse o diretor-executivo da OMS, Michael Ryan.

No restante do mundo, segundo a OMS, 447 pacientes foram diagnosticadas com coronavírus em 24 países, com duas mortes - uma nas Filipinas e outra no Japão.

De acordo com o médico britânico, as mortes decorrentes da doença acontecem, predominantemente, na faixa de idade acima de 65 anos. Ele explicou que há diversos remédios sendo testados, incluindo alguns usados contra o HIV.

Em relação ao navio em quarentena na costa do Japão, a OMS afirmou que 218 passageiros foram diagnosticados com o vírus.

Japão tem a primeira morte

Tóquio - As autoridades locais registraram nesta quinta-feira (13) a primeira morte relacionada ao COVID-19 no Japão, que será sede da Olimpíada de 2020, a partir de julho. Esta é a terceira vítima fora da China continental da epidemia de coronavírus, que já matou outras 1.367 pessoas somente no território chinês. A paciente era uma mulher de 80 anos que residia em Kanagawa, ao sul de Tóquio. Segundo as autoridades, ela não tinha histórico de viagem à China ou fez contato com algum dos passageiros do cruzeiro Diamond Princess, isolado após 218 serem diagnosticadas com a doença. O ministro da Saúde do Japão, Katsunobu Kato, disse nesta quinta-feira em uma coletiva de imprensa que o resultado positivo do exame que detectou o vírus só foi revelado após o falecimento da mulher. Segundo Kato, ela começou a apresentar os sintomas em 22 de janeiro e acabou hospitalizada em 1º de fevereiro.

Ler matéria completa