Bauru e grande região

 
Nacional

Após ataque de hacker ao STJ, notas de cursos online somem

Alunos de Escola Corporativa ficam sem avaliação e certificado de conclusão

por Estadão Conteúdo

21/11/2020 - 05h00

A invasão hacker ao sistema informatizado do Superior Tribunal de Justiça (STJ), há duas semanas, fez com que dados e informações de alunos que realizam cursos online na Corte sumissem. Os estudantes, a maior parte deles advogados, tiveram as notas de provas bloqueadas pelo invasor e todo o registro de atividades realizadas até a data do ataque desapareceram do sistema do tribunal, que não conseguiu recuperar essas informações.

Os cursos ofertados pela Escola Corporativa do STJ (Ecorp) são gratuitos e abertos a quem tiver interesse. As aulas são ministradas à distância, por meio de uma plataforma online, e não valem como pós-graduação ou qualquer tipo de especialização. Servem apenas para aprimoramento profissional, por isso o público-alvo costuma ser advogados que atuam na Corte.

APURAÇÃO

No dia 3 de setembro deste ano, por exemplo, o tribunal abriu 500 vagas para um curso denominado "A eficiência dos precedentes judiciais no STJ". Na última quarta-feira (18) os inscritos foram surpreendidos com um e-mail informando o cancelamento das aulas e que não foi possível recuperar os dados com as atividades já realizadas pelos alunos. Dessa forma, os certificados não teriam como ser emitidos.

O curso sobre precedentes judiciais foi disponibilizado para o público em geral e seria realizado na modalidade auto -instrucional (sem tutoria).

A Polícia Federal abriu um inquérito para apurar o ataque hacker que paralisou as atividades do STJ no dia 4. Na ocasião, o acesso a processos e informações do tribunal foram bloqueados, afetando cerca de 12 mil julgamentos. A Corte só voltou ao trabalho normal uma semana depois, após recuperar os dados em seus sistemas de backups.

 

Ler matéria completa