Bauru e grande região

Nacional

'Não há estremecimentos nas relações com China e Índia'

Presidente diz que contato com os dois países está normal e não fechou as portas

por Estadão Conteúdo

23/01/2021 - 05h00

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira, 22, que "nunca houve estremecimentos" nas relações do Brasil com a Índia e China. O mandatário disse que tem mantido conversas com autoridades dos dois países, mas não entrou em detalhes sobre os assuntos tratados. Ontem, em transmissão ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro já havia negado que o governo tenha problemas com a China. Em suas redes sociais, Bolsonaro também já cumprimentou membros do governo indiano envolvidos nas negociações das vacinas.

O Brasil depende da China para a importação de matéria-prima para a produção de imunizantes, que seguem em negociação. Já as tratativas com a Índia envolviam a entrega de 2 milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca, que foram autorizadas ontem pelo governo indiano e devem chegar ao Brasil no fim da tarde desta sexta-feira. A previsão anterior era de que os imunizantes chegassem no último domingo.

SOBERANIA

"Nunca houve qualquer estremecimento nas relações entre Brasil e China e entre Brasil e Índia", disse Bolsonaro. Ele destacou que o País não fechou as portas para demais países, mas busca preservar sua soberania.

"A China precisa de nós e nós precisamos da China. E o mundo é assim. Jamais fechamos as portas seja qual país for", declarou.

DESGASTE

Sob pressão pelo atraso dos imunizantes vindos da Índia e dos insumos chineses, o governo tem buscado se defender do desgaste envolvendo a imagem de sua área diplomática. "Obviamente, converso com autoridades, estive com o embaixador da Índia na semana passada. Também nosso ministro conversa com o embaixador da China entre outras autoridades, mas são conversas reservadas, lamento não poder divulgar a vocês", disse o presidente.

Ler matéria completa