Bauru e grande região

Nacional

Campanha de vacinação contra a gripe começa nesta segunda no País

Entram nesse grupo crianças menores de seis anos, gestantes e idosos, entre outros

por Natália Cancian/Folhapress

12/04/2021 - 12h02

Antonio Cruz/Agência Brasil

Posto de Saúde do DF; na foto Gennes Rocha, 90 anos. Oferta leva em conta os grupos que têm maior risco de mortes pela gripe

A campanha anual de vacinação contra a gripe começa nesta segunda-feira (12) em todo o País. Segundo o Ministério da Saúde, que fez um evento de lançamento da iniciativa, a expectativa é que sejam vacinados, até o dia 9 de julho, 79,7 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo a quem a vacina é indicada na rede pública.

Entram nesse grupo crianças menores de seis anos, gestantes e idosos, entre outros. Veja a lista completa dos grupos prioritários abaixo.

A oferta leva em conta os grupos que têm maior risco de complicações ou mortes pela gripe. A imunização deve ajudar, de forma indireta, também na assistência contra a Covid-19, por reduzir a carga sobre o sistema de saúde.

De acordo com a pasta, a campanha será dividida em três etapas. Na primeira, até o dia 10 de maio, serão vacinados crianças maiores de seis meses e menores de seis anos, gestantes, puérperas, povos indígenas e trabalhadores de saúde.

Na segunda, que vai de 11 de maio a 8 de junho, serão vacinados pessoas com mais de 60 anos e professores.

Já a última etapa envolverá pessoas com comorbidades (como diabetes e outras doenças crônicas), pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento (como policiais e bombeiros), Forças Armadas, presos e funcionários do sistema prisional e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas. Essa fase vai de 9 de junho a 9 de julho.

A diferença na ordem dos grupos prioritários em relação ao padrão adotado em anos anteriores -que costumava começar com idosos- ocorre para evitar coincidência com as datas de vacinação contra a Covid-19. Não há estudos sobre a aplicação simultânea das vacinas. A recomendação atual é que as doses contra Covid e influenza sejam aplicadas com 14 dias de intervalo.

"Neste caso, toma-se primeiro a da Covid, e 14 dias depois, a da gripe. E quem estiver com sintomas gripais precisa esperar o tempo de sua recuperação até tomar a vacina", diz o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros.

Está prevista a distribuição de 80 milhões de doses de vacinas contra a gripe, produzidas pelo Instituto Butantan. A meta é vacinar 90% do público-alvo dentro do prazo previsto. O investimento foi de R$ 1,2 bilhão.

Uma campanha publicitária para incentivar a adesão começa a ser veiculada nesta segunda, com o slogan "Eu vou".

Ainda segundo o ministério, municípios terão autonomia para definir a data do chamado "dia D", quando é feita uma mobilização pela vacinação.

Ao anunciar o início da estratégia, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, pediu que haja adesão da população.

"Sabemos que a gripe pode levar a síndromes respiratórias agudas graves, que também pressionam nosso sistema de saúde, já pressionado pela Covid-19", disse. "É imprescindível que tenhamos essa campanha bem-sucedida."

A vacina protege contra três tipos de vírus da gripe, definidos a cada ano de acordo com aqueles que predominam em circulação. O objetivo é reduzir hospitalizações por pneumonia e mortes pela gripe. "O vírus usado na vacina é inativado. Não é possível pegar gripe tomando a vacina", lembra Medeiros.

Mauro Junqueira, secretário-executivo do Conasems, conselho que reúne gestores municipais de saúde, diz que a previsão é que municípios organizem estratégias para fazer a vacinação tanto contra a Covid quanto para a da gripe sem que haja aglomerações.

Documento do Ministério da Saúde orienta reservar um local específico das unidades de saúde apenas para a vacinação contra a gripe.

CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A GRIPE

Data: de 12 de abril a 9 de julho

Público-alvo: crianças com mais de seis meses e menores de seis anos, gestantes, puérperas [mulheres com até 45 dias após o parto], indígenas, trabalhadores da saúde, idosos, professores das escolas públicas e privadas, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, pessoas com deficiência permanente, forças de segurança e salvamento, forças armadas, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, funcionários do sistema prisional, adolescentes que cumprem medidas socioeducativas e população privada de liberdade

Distribuição dos grupos: em três etapas, abaixo:

1.ª etapa (de 12/04 a 10/05)

Crianças maiores de seis meses e menores de seis anos, gestante, puérperas, povos indígenas e trabalhadores de saúde 2a etapa (de 11/05 a 08/06)

Idosos (pessoas com 60 anos ou mais) e professores 3a etapa (de 9/06 a 9/07)

Pessoas com comorbidades, pessoas com deficiência permanente, caminhoneiros, trabalhadores portuários, forças de segurança e salvamento, forças armadas, presos e funcionários do sistema prisional e adolescentes que cumprem medidas socioeducativas Fonte: Ministério da Saúde

Ler matéria completa