Bauru

Nacional

Covid: governo federal quer liberar vacinados do uso de máscaras

Bolsonaro pede parecer para quem estiver imunizado não usar máscara

por Estadão Conteúdo

11/06/2021 - 05h00

Adriano Machado/Reuters

Jair Bolsonaro tira máscara em cerimônia de apoio ao turismo

Brasília - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, 10, ter conversado com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para que seja preparado um parecer desobrigando pessoas vacinadas ou que já tenham sido contaminadas a usarem máscaras. A proteção evita a propagação do novo coronavírus, que é transmitido pelo ar.

"Acabei de conversar com um tal de Queiroga. Não sei se vocês sabem quem é...", brincou Bolsonaro. "Ele vai ultimar um parecer visando a desobrigar o uso de máscaras por parte daqueles que estejam vacinados ou que já foram contaminados. Para tirar este símbolo segurando uma máscara descartável na mão que tem a sua utilidade para quem está infectado", completou durante evento realizado pelo Ministério do Turismo, em Brasília.

Antes de falar, no entanto, o presidente usava o acessório ao lado de ministros. 

VITÓRIA ECONÔMICA

Segundo o presidente, apesar da pandemia, o País "teima em dar certo". "O Brasil não é mais o País do futuro. É o País do presente. Durante a pandemia, o turismo foi para a lona. Vimos voos internacionais cancelados, fronteiras fechadas, a circulação interna bastante afetada por decisões de governadores e o turismo foi para a UTI sim, mas saiu de lá", completou, elogiando o trabalho do ex-ministro do Turismo na sua gestão Marcelo Álvaro Antônio, indiciado por suspeita de envolvimento em esquema de candidaturas laranjas.

Ele disse que a economia brasileira cresceria 7% ou 8%, em vez dos 4% previstos para 2021, se não houvesse pandemia. Ele criticou medidas de isolamento adotadas por governadores e se eximiu de responsabilidades pelos impactos da crise sanitária no emprego e na renda. "Os informais foram duramente abatidos. E logo por esses políticos, que dizem tanto que estão preocupados com os mais pobres. O governo federal não fechou nenhum botequim", disse o mandatário.

Ler matéria completa