Bauru

Nacional

Avião cai em Piracicaba e mata 7 pessoas, 5 da mesma família

Aeronave levava família do empresário Celso Silveira Mello Filho, acionista da Cosan

por FolhaPress

14/09/2021 - 12h03 atualizado às 06h36

Corpo de Bombeiros PMESP

Queda de Aeronave de asa fixa

Uma aeronave King Air 360 caiu em Piracicaba, no interior de São Paulo, na manhã desta terça-feira (14) e matou seus sete ocupantes. Cinco dos mortos eram da mesma família.

Segundo o Corpo de Bombeiros, por volta das 9h a aeronave que levava a família do empresário Celso Silveira Mello Filho, acionista da Cosan, um dos maiores grupos do setor sucroenergético no país, caiu em uma área de vegetação próxima à Fatec (Faculdade de Tecnologia), provocando um incêndio no local. Sete viaturas foram encaminhadas para a região.

Celso é irmão de Rubens Ometto Silveira Mello, presidente do conselho de administração da companhia.

Além dele, morreram sua esposa, Maria Luiza Meneghel, seus três filhos, Celso, Fernando e Camila, o piloto do avião, Celso Elias Carloni, e o copiloto, Giovani Gulo. A aeronave tinha decolado do aeroporto da cidade paulista, com destino a Belém.

As chamas foram contidas na área do impacto, mas se alastraram para a vegetação de eucalipto e foram apagadas pelas equipes do Corpo de Bombeiros e por uma força-tarefa que foi para o local.

No total, cerca de cem pessoas trabalham na ocorrência, de acordo com a prefeitura, incluindo brigadistas da Hyundai, que está instalada perto do local do acidente e enviou funcionários.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava com o certificado e a manutenção em dia.

O registro aponta que o avião, fabricado em 2019, era da categoria de serviço aéreo privado e operado pela CSM Agropecuária Ltda. A reportagem tenta contato com a empresa.

De acordo com o major Marcos Palumbo, do Corpo de Bombeiros, não foi possível reconhecer as vítimas, pois a maioria estava carbonizada.

Nenhum dos ocupantes da aeronave, que constavam na lista de passageiros do voo, sobreviveu ao impacto seguido de incêndio, afirmou o major.

O prefeito de Piracicaba, Luciano Almeida (DEM), que esteve no local da queda do avião, disse, via assessoria, lamentar o acidente. "Ficamos consternados com o acidente e, por isso, decretamos luto oficial [de três dias] no município como forma de prestar nossa homenagem neste momento tão difícil."

Por meio de nota, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) confirmou que investigadores do 4º Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 4), seu órgão regional em São Paulo, foram acionados para apurar a ocorrência.

Entre as ações nesta fase estão identificar indícios, fotografar cenas, ouvir testemunhas e analisar partes da aeronave.

A conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os fatores contribuintes, diz a nota do Cenipa.

Na segunda-feira (13), um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) teve falha técnica e caiu em Campo Grande (MS). A queda gerou incêndio florestal e fez o espaço aéreo ser fechado por quase três horas.

Empresário atuou no agronegócio e foi presidente do XV de Piracicaba

Ata/Reprodução

Nascido em Piracicaba

O empresário Celso Silveira Mello Filho, de 73 anos, morto na queda do seu avião, em Piracicaba, interior de São Paulo, teve participação relevante no agronegócio brasileiro, mas também se dedicou a outras atividades. No setor esportivo, Celso foi presidente do Esporte Clube XV de Piracicaba, time de sua terra natal. Na área educacional, o empresário fundou e dirigiu a Faculdade de Ensino Superior da Amazônia, em Redenção, sul do Pará.

Celso era presidente da CSM Agropecuária, no Pará, e tinha participação em empresas dos Estados de São Paulo, Paraná e Tocantins, entre elas a Vale Bonito Agropecuária. Seus negócios envolviam criação de gado e cultivo de grãos.

Foi no setor sucroalcooleiro que o economista Celso Mello mais se destacou, participando da coordenação geral de projetos na Usina Costa Pinto, matriz do grupo Cosan e da Raízen, seu braço energético.

FILHOS DO ESPORTE

Mello atuou principalmente para aumentar a capacidade de produção de álcool nas usinas. Ele é irmão do presidente do Conselho de Administração da Cosan, Rubens Ometto Silveira Mello, que foi apontado pela revista Forbes entre os dez bilionários mais "verdes" do mundo, em 2013, pela produção de energia limpa.

Um dos filhos do empresário, Fernando, era atleta de tiro esportivo. Ele foi campeão sul-americano e chegou a representar o Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em 2019, na categoria fossa olímpica. O outro filho, Celso, era piloto de autocross desde a adolescência e foi tricampeão brasileiro na modalidade (2011, 2012 e 2017). O pai também praticava o autocross.

Ler matéria completa

×