Bauru

Nacional

Brasil registra 590 municípios em estado de emergência por chuvas

Nove estados estão com boa parte das cidades tomadas pelas águas; Minas teve estrada totalmente interditada ontem

15/01/2022 - 05h00

Redes sociais

BR-381 liga Espírito Santo a São Paulo passando por Minas

Belo Horizonte - Aproximadamente 10% dos municípios brasileiros decretaram situação de emergência por conta das chuvas que vêm castigando o Brasil desde o final de dezembro. Segundo os órgãos estaduais de Defesa Civil, são ao todo 590 municípios em 9 estados brasileiros: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Piauí, Rio de Janeiro e Tocantins.

A maior parte dos municípios em situação de emergência por conta das chuvas estão localizados nos estados de Minas Gerais e Bahia, (374 e 175, respectivamente). Desde novembro de 2021, as chuvas já deixaram 59 mortos, sendo 26 deles na Bahia. São Paulo contabilizou 8 mortes. Aproximadamente 125 mil pessoas tiveram que deixar as suas casas em todo o País.

MINAS

Na BR-381, em Nova Era, a rodovia federal foi totalmente fechada após asfalto 'estufar' e placas se soltarem na manhã de ontem, causando rachamento total nas pistas. 

O trecho da BR-381 que liga o Espírito Santo a São Paulo afundou completamente na altura da cidade de Nova Era (MG).

O km 321 da estrada foi completamente interditada nesta sexta-feira (14) e, segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), não tem liberação prevista.

Para os motoristas que precisam utilizar o trecho, vindos da cidade de Ipatinga, também em Minas, três desvios são recomendados, pelas cidades de Belo Oriente, Guanhães e Itabira.

O governador Romeu Zema anunciou, nesta sexta-feira (14) R$ 560 milhões para ações nas cidades atingidas pelas fortes chuvas em Minas Gerais.

BAHIA

A prefeitura de Cairu, cidade localizada no baixo sul da Bahia distante cerca de 175 km de Salvador, emitiu na quinta-feira (13) um alerta para risco de desmoronamento de falésias em trecho que fica entre Morro de São Paulo e Gamboa, conhecidos destinos turísticos da Ilha de Tinharé que recebem muitas pessoas durante o verão.

Cânions

Em decorrência do deslizamento do bloco rochoso que causou a morte de dez pessoas no sábado passado (8), o Ministério Público Federal (MPF) recomendou a três municípios que interditem o acesso a áreas de cânions no Lago de Furnas. A orientação é para que a medida vigore até que seja feito um mapeamento geológico do local, com laudo que ateste a segurança para atividades de navegação e turismo.

Capitólio é um dos municípios que recebeu a recomendação do MPF. A prefeitura já interditou o local da tragédia. As outras duas cidades são São João Batista do Glória (MG) e São José da Barra (MG). As prefeituras têm um prazo de 15 dias para informar se acatam os pedidos. Em caso negativo, o MPF poderá avaliar se vai à Justiça para obrigar a adoção das medidas.

Ler matéria completa

×