Bauru

Nacional

Dependente químico morre baleado na Cracolândia (SP)

Ação policial para dispersar usuários ocorreu pelo segundo dia seguido

por Agência Brasil

14/05/2022 - 05h00

São Paulo - Um homem morreu baleado na noite de ontem (13) na Avenida Rio Branco, centro da capital paulista, próximo à Praça Princesa Isabel, onde estava concentrada a Cracolândia. Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública de São Paulo (SSP), a morte do homem de 32 anos de idade está sob investigação e estão sendo analisadas imagens do local. No boletim de ocorrência, policiais militares disseram que foram ao local onde estavam concentradas parte das pessoas. Houve um tumulto generalizado acompanhado de sons de disparos de armas de fogo. Os policiais disseram ter encontrado o homem caído na rua. 

A advogada Juliana Valente, da Comissão de Direitos Humanos da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo, registrou um outro boletim de ocorrência em que traz o relato de testemunha que afirma ter visto policiais militares atirarem contra o homem. 

OPERAÇÃO

Na quarta-feira (11), foi realizada uma grande operação com envolvimento de 500 policiais civis e militares, além de 150 guardas civis metropolitanos. A ação dispersou a Cracolândia, instalada no local desde março, quando a aglomeração de pessoas em situação de rua e usuários de drogas se deslocou da região da Praça Julio Prestes, a cerca de 800 metros, onde estava concentrada nos últimos anos.

Durante a ação, 20 pessoas foram levadas à delegacia e cinco presas acusadas de tráfico de drogas. As centenas de pessoas que formam a Cracolândia se dispersaram pelas ruas da região central da capital paulista.

A vítima

Raimundo Nonato Rodrigues Fonseca Júnior, 32 anos, era dependente químico havia mais de 20 ano. Fonseca Júnior chegou a ser internado em uma comunidade terapêutica em São Carlos, no interior de São Paulo, em 2013, após ter sido preso sob acusação de tráfico em Campinas, em 2011.

Ler matéria completa

×