Bauru

Nacional

Estado de São Paulo lança plano para enfrentamento à varíola dos macacos

Há 1.298 casos confirmados, dez menores e duas grávidas; ação ocorre no dia em que EUA decretaram emergência

por Agência Brasil

05/08/2022 - 05h00

GovSP

Secretário Gorinchteyn pede maior atenção à prevenção

São Paulo - O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (4) o lançamento de um plano de enfrentamento à varíola dos macacos. Por meio da chamada Rede Emílio Ribas de Combate à Monkeypox serão disponibilizados 93 hospitais e maternidades, protocolos de diagnóstico e assistência, rede credenciada de laboratórios para testagem e vigilância genômica e intensificação de ações de capacitação e a criação do Centro de Controle e Integração formado por 24 especialistas.

REFERÊNCIAS

Os hospitais de referência darão retaguarda para os casos mais graves com necessidade de internação de pacientes e leitos de isolamento ou Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Além do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, maior centro de tratamento de doenças infectocontagiosas da América Latina, com unidades na capital paulista e no Guarujá, serão referência no atendimento os hospitais universitários, como o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto, e os hospitais gerais próprios do estado.

"O objetivo central é somar esforços e integrar as instituições e centros de excelência para promover ações estratégicas de prevenção e cuidado, levando em consideração o aprendizado diante dos últimos enfrentamentos de endemias e pandemias", disse o secretário de Ciência, David Uip.

EDUCAÇÃO

Também serão realizadas pela rede ações de comunicação educativa para a população de todo o Estado de São Paulo.

"Este conjunto de ações desenvolvidas pelas equipes das duas Secretarias de Estado são fundamentais para o enfrentamento da doença em São Paulo. São diretrizes importantes e que auxiliam toda a rede de saúde e a população, evitando agravamentos pela doença e a ampliação da transmissão em SP", afirmou o secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

 

Crianças e grávidas

São Paulo confirma 1.298 casos, sendo a grande maioria deles -97% - entre homens. Gestantes e crianças são consideradas como grupos de risco para varíola dos macacos por terem maior probabilidade de desenvolver complicações da doença. Imunossuprimidos também fazem parte dos grupos que requerem maior atenção. Duas duas grávidas infectadas não apresentam sintomas graves da doença.

Os menores são cinco crianças abaixo de nove anos e outros cinco adolescentes. Todos eles fazem isolamento em casa.

EUA declaram emergência nacional de saúde pública

A varíola dos macacos é uma emergência nacional de saúde pública nos Estados Unidos, decretou o governo Joe Biden nesta quinta-feira (4).

O decreto de emergência, anunciado pelo secretário de Saúde, Xavier Becerra, na prática libera verbas de emergência e dá às agências federais a possibilidade de fazer contratações emergenciais de funcionários, vacinas e remédios.

De 18 de maio até agora, os EUA somam 6.617 casos confirmados da doença, sem nenhuma morte. A decisão vem depois que os estados de Nova York, Califórnia e Illinois, onde ficam as três maiores cidades do país, declararam emergência nos últimos dias. Esses três estados concentram 46% dos casos confirmados nos EUA, seguidos de Texas, Flórida e Geórgia.

"Estamos preparados para elevar nossa resposta ao vírus a outro nível, e clamamos que cada americano leve a varíola dos macacos a sério", disse Becerra a jornalistas.

Há uma preocupação quanto a quantidade e disponibilidade de vacinas no país. Só há um imunizante autorizado pela FDA, o órgão equivalente à Anvisa, e o governo anunciou na última semana que distribuiria 1,1 milhão de vacinas, o equivalente para imunizar 550 mil pessoas --o que tem provocado críticas de que Biden não tem feito esforços suficientes para aumentar a oferta. A Casa Branca diz ter capacidade para 80 mil testes da doença por semana.

Segundo o portal Our World in Data, da Universidade de Oxford, há 26.073 casos de varíola dos macacos em 83 países.

Ler matéria completa

×