Bauru

Nacional

Fundador de milícia morre baleado no RJ

Jerominho, de 73 anos, teria sofrido emboscada e levado um tiro de fuzil

por Agência Brasil

05/08/2022 - 05h00

Rio de Janeiro - O ex-vereador pelo Rio e ex-policial civil, Jerônimo Guimarães Filho, conhecido como Jerominho, foi ferido a tiros na tarde desta quinta-feira (4), quando passava de carro pela Estrada Guandu do Sapê, em Campo Grande, zona oeste do Rio. A Polícia Militar (PM) informou que Jerominho morreu. Os autores dos disparos foram três homens que desceram de um carro branco. Ao volante, ficou outro homem.

A vítima foi socorrida ao Hospital Oeste D'Or, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. O policiamento foi intensificado na região do crime e em diversos pontos da zona oeste da cidade, reduto eleitoral do ex-vereador.

Jerominho estava acompanhado do cunhado, que também ficou ferido, foi socorrido por uma equipe do Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Municipal Rocha Faria, no mesmo bairro. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o estado de saúde do cunhado dele é grave.

O ex-vereador levou dois tiros: um na perna e outro no tórax e foi levado até o hospital por pessoas que estavam no local.

Policiais da Delegacia de Campo Grande foram deslocados para apurar a ocorrência.

MILÍCIA

Jerominho e o irmão Natalino Guimarães, que foi deputado estadual e também policial civil, ficaram presos entre 2007 e 2018 e são apontados como fundadores da primeira milícia do Rio de Janeiro, a Liga da Justiça, criada na zona oeste. Mesmo na prisão eles continuaram exercendo poder político.

O símbolo da milícia é um morcego, e as casas que tinham a figura na frente do imóvel recebiam proteção do grupo paramilitar.

Ler matéria completa

×