Bauru

Nacional

Bolsonarista levou mais de 20 chutes

Policial que matou petista sofreu sessão de espancamentos na cabeça

por FolhaPress

05/08/2022 - 05h00

Curitiba  - Novas imagens das câmeras de segurança do local onde ocorreu o assassinato do petista Marcelo Arruda mostram que o policial penal bolsonarista Jorge José da Rocha Guaranho foi atingido por mais de 20 chutes na cabeça após ser baleado em confronto com a vítima, que comemorava o aniversário de 50 anos com uma festa temática do PT, em Foz do Iguaçu (PR), na noite de 9 de julho.

Caído no chão após atirar primeiro contra Arruda e depois ser atingido, Guaranho foi alvo de uma sessão de espancamento de quase seis minutos, como mostra o vídeo obtido pelo UOL. Foram ao menos 38 agressões, que também incluem chutes no tórax, nas pernas e dois saltos sobre o peito. Enquanto isso, Arruda recebia assistência de pessoas que estavam no salão.

As agressões fazem parte de uma investigação paralela conduzida pela Polícia Civil do Paraná, que apura o impacto das lesões sofridas por Guaranho em decorrência dos chutes e pisões praticados por três convidados da festa. O policial penal também foi ferido por seis tiros disparados por Arruda, que o atingiram no rosto, pescoço e pernas.

Como a investigação da Polícia Civil do Paraná corre em segredo de Justiça, a identidade dos agressores não foi informada, e também está inacessível ao Ministério Público.

INTERNAÇÃO

Preso preventivamente e denunciado pelo Ministério Público por homicídio duplamente qualificado, Guaranho teve alta da UTI (Unidade de Terapia Intensiva), mas continua internado.

O advogado Luciano Santoro relaciona as agressões à gravidade da lesão, e diz que Guaranho perdeu a memória do dia do tiroteio.

Ler matéria completa

×