Bauru e grande região

Polícia

Adolescente mata namorada a facadas

Jovem de 17 anos assumiu autoria do crime e foi apreendido; mulher foi morta em frente à residência de uma amiga

por Mariana Cerigatto

25/03/2012 - 00h01

" cellpadding="1" cellspacing="1" style="width: 33

px; ">

João Rosan

px; height: 225px; " />

A faca de cozinha foi apreendida no local do crime

Uma possível traição: esse foi o motivo que levou um rapaz de 17 anos a matar a suposta namorada a facadas, de 22 anos, no final da tarde de ontem em Bauru. Gleiciane Pereira Cecílio, de 22 anos, foi morta com vários golpes de faca defronte à residência de sua amiga, na quadra 2 da rua Laurindo Limão, no Parque Nova Bauru. Após o ocorrido, o jovem foi pego a poucas quadras do local do homicídio, já em sua residência.

 

A moça foi atingida por golpes de faca, que deixaram cortes profundos principalmente na região do pescoço. O autor teria chamado por Gleiciane, que saiu para fora da casa para atender o rapaz. Logo, os dois teriam iniciado uma breve discussão no meio da rua e então o crime teria acontecido. 

 

Os vestígios da crueldade do assassinato puderam ser vistos nas grades do portão da residência, que ficou com muitas marcas de sangue. Após cometer o homicídio, o rapaz deixou a arma no local, uma grande faca de cozinha, que foi recolhida pela polícia.

 

A amiga da vítima, que preferiu não revelar a identidade, disse que ouviu os gritos de Gleiciane, que chegou a entrar para dentro de casa já cambaleando, bastante ensanguentada. A colega acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que logo compareceu ao local, mas o médico que atendeu a ocorrência constatou o óbito. 

 

A apreensão do rapaz ocorreu instantes após o assassinato. Ele foi pego  em sua própria residência, a quatro quadras do local do crime e não teria oferecido resistência durante detenção. Após prestar depoimento no Plantão Policial, seria conduzido à Delegacia de Polícia da Infância e Juventude (Diju) de Bauru.

 

Na delegacia, o rapaz relatou ao delegado plantonista Paulo Calil que o crime teria sido motivado por suspeita de traição. “Ele disse que era o atual namorado de Gleiciane e que soube que ela havia saído ontem (anteontem) com outra pessoa”, relatou o delegado. Suspeitando de traição, o rapaz partiu para o crime. 

 

“Gleiciane teria dito a ele que realmente havia saído com outra pessoa. Foi então que ele desferiu um golpe no pescoço dela”, indicou Calil.

 

O garoto de 17 anos, de acordo com Calil, era considerado fugitivo pela Vara da Infância e Juventude e estava em semiliberdade pela prática de tráfico de drogas. 

 

 

 

Vítima já tinha sido ameaçada

 

Gleiciane Pereira Cecílio, de 22 anos, já havia sido ameaçada por outro companheiro no ano de 2

1

, segundo constatou a Polícia Civil. 

 

A jovem, atualmente, morava na casa dos pais no bairro Nova Esperança e estava desempregada. 

 

O pai da jovem disse que, antes do crime ocorrer, ainda na tarde de ontem, o autor já teria procurado pela sua filha na casa onde reside, no bairro Nova Esperança. “Eu não o conhecia, não posso dizer nada sobre ele. Não tinha detalhes do relacionamento entre os dois. Só espero que agora a Justiça seja feita”, disse José de Almeida, 66 anos.

 

A mãe da vítima entrou em estado de choque quando soube do ocorrido. “Ela era a minha única filha solteira, era tranquila”, lamentou José.

 

Apesar do autor do crime apontar a vítima como sua atual namorada, a família de Gleiciane aponta o adolescente como ex-namorado. A amiga, que tentou socorrer Gleiciane, disse que não conhecia o autor do crime, mas sabia que ele já teria se relacionado com a vítima. 

 

Ainda segundo a amiga, Gleiciane era uma pessoa sem inimizades. “Ela era uma boa pessoa, legal, não tinha inimizades com ninguém”, afirmou.