Bauru e grande região

Polícia

Homem que chutou várias vezes cabeça de vigilante é identificado

Ricardo Augusto Correia da Silva, 34 anos, chega a ver a pulsação da vítima e, depois, continua as agressões; ele foi preso pela polícia

08/03/2019 - 17h30

Confira o momento da agressão:

Fotos: Polícia Civil/Divulgação
Ricardo Augusto Correia da Silva foi preso e confessou agressão

A Polícia Civil, através da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Bauru, esclareceu nesta semana um crime cruel e covarde ocorrido no último dia 3 de fevereiro na Vila Ipiranga, quando um vigilante de 39 anos, após sair de um bar na quadra 17 da rua Antonio Valderramas Daro, levou diversos chutes na cabeça mesmo já desmaiado.

"O caso, que, inicialmente, foi registrado pelo Plantão Policial como roubo, chegou até a DIG e, então, os policiais civis obtiveram imagens de uma câmera de um estabelecimento comercial que mostra o suspeito, inicialmente citado pelo prenome de 'Ricardo', desferindo vários chutes na cabeça da vítima que está desmaiada", destaca o titular da especializada, Cledson Nascimento.

Em determinado momento, o acusado chega a colocar a mão no pescoço da vítima, como se confirmasse sua pulsação e, depois, continua chutando. O vigilante teve fraturas no nariz, ossos da face e vários cortes na cabeça, passou por cirurgia e está fora de perigo.

CONFESSOU

Após as investigações, os policiais civis da DIG identificaram o agressor como sendo Ricardo Augusto Correia da Silva, de 34 anos, e foi solicitada sua prisão temporária.

"Ele foi localizado na última terça-feira pela Policia Militar e encaminhado para a Cadeia de Avaí, a disposição da DIG. Interrogado na data de ontem (quinta-feira), confessou as agressões, mas disse que o fato se deu após um desentendimento com a vítima no bar e que, após agredi-lo, retirou sua carteira e jogou em um terreno. Afirmou ainda que ambos estavam alcoolizados", complementa o delegado.

Após o interrogatório, Cledson Nascimento alterou a tipificação do crime para tentativa de homicídio e a prisão temporária foi prorrogada por mais 30 dias.

Ricardo da Silva será indiciado e a DIG aguarda a chegada dos laudos periciais para concluir o Inquérito Policial e pedir a sua prisão preventiva.

Polícia Civil/Reprodução
Câmera flagrou o momento em que vigilante leva vários chutes