Bauru e grande região

Polícia

Acusado de matar pai na frente do filho de 8 anos se apresenta à polícia

Crime ocorreu na tarde de sábado no Pousada da Esperança 2; homem entregou a arma utilizada e confessou, segundo delegado Giuliano Travain

por Marcele Tonelli

11/07/2019 - 07h00

Polícia Civil/Divulgação
Na delegacia, homem apresentou uma garrucha, que teria sido a arma usada no assassinato

O homem acusado de matar com um tiro na cabeça um mecânico de 29 anos, na frente do filho dele, de 8 anos, no bairro Pousada da Esperança 2, apresentou-se à Polícia Civil nessa quarta-feira (10). Richard Nixon Venâncio Júnior, 26 anos, o "Neguinho", entregou arma do crime e confessou o homicídio ao delegado Giuliano Travain, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

O assassinato ocorreu na tarde do último sábado, na quadra 5 da rua João Bastos Pereira, durante uma discussão, e vitimou João Fermiano Neto, que teria sido morto por causa de uma dívida de R$ 500,00.

Após prestar depoimento, Nixon passou por exame residuográfico e pelo reconhecimento, mas foi liberado até que a prisão preventiva seja concedida pela Justiça. O delegado explica que o prazo para a prisão em flagrante foi encerrado.

"Nós o procuramos durante diligências no sábado todo e continuamos na segunda-feira, mas ele estava escondido, parece que em uma área de mata. Hoje [ontem], resolveu se entregar. Só que, agora, a prisão depende de ordem do juiz", cita Travain.

Na delegacia, o acusado apresentou uma garrucha calibre 32.

"Esta é a arma do crime, mas ele usou uma munição mais potente", detalha o delegado.

ABRAÇADOS

Sobrou para o garoto de 8 anos, filho do mecânico, o trauma da situação. "Eles estavam abraçados quando o tiro foi dado na cabeça da vítima", detalha Travain.

Em seu depoimento, o acusado alegou que foi um disparo acidental, que sacou a arma apenas para assustar e para que a vítima pagasse, enfim, a quantia que devia.

Segundo o delegado, o acusado disse que a vítima estaria devendo os R$ 500,00 a ele referentes à compra de um GM/Marajó.

Motivação que deve alterar a tipificação do crime regsitrado, de homicídio simples para homicídio qualificado, cometido por motivo torpe.

João Neto chegou a ser socorrido na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Mary Dota, mas não resistiu.

A criança passou por escuta especializada nesta quarta-feira e, por causa do trauma sofrido, precisou ser encaminhada para tratamento psicossocial, oferecido pelo poder público.

COPARTICIPAÇÃO

Mesmo com a confissão, a Polícia Civil continua as investigações sobre o caso, porque Nixon teria chegado ao local do crime acompanhado por mais duas pessoas e há possibilidade de coparticipação de um segundo homem, que teria repassado a arma ao acusado, instantes antes do disparo.