Bauru e grande região

Polícia

Novo seccional mira combate à corrupção

Desde o dia 2 de agosto, o delegado Ricardo Dias assumiu a função, em Bauru

por Cinthia Milanez

25/08/2019 - 05h51

Samantha Ciuffa

Ricardo Dias faz diagnóstico também do quadro de servidores

Novo titular da Delegacia Seccional de Bauru, Ricardo Dias pretende implantar a quarta unidade do Setor Especializado de Combate aos Crimes de Corrupção, Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro (Seccold) do Estado de São Paulo, no município, onde atua desde o dia 2 de agosto. Antes, ele comandava exclusivamente a Seccional de Jaú, que inaugurou o Seccold em janeiro deste ano. Atualmente, está à frente das duas (Jaú e Bauru).

De acordo com o delegado, o setor também existe em Guaratinguetá e Sorocaba. "É uma importante estrutura da Polícia Civil, até porque o combate à corrupção está entre os principais anseios da população brasileira", defende.

Ainda segundo Ricardo, crimes contra a administração pública, lavagem de dinheiro e fraudes em licitações e contratos públicos são alguns dos delitos investigados pelo Seccold.

Em Mineiros do Tietê, a pasta jauense participou da Operação Edrôminas, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE), que culminou na prisão de uma vereadora e duas servidoras comissionadas da Câmara daquela cidade, no dia 12 de julho de 2019.

Conforme noticiado pelo Jornal da Cidade, as três mulheres eram suspeitas de desviarem verbas públicas por meio da emissão de notas fiscais falsas.

No entanto, o delegado não estabeleceu prazo para a criação do Seccold bauruense. Antes, ele quer diagnosticar a situação da Polícia Civil local, que sofre com a falta de material humano. "O objetivo é otimizar a prestação dos serviços", explica.

Além disso, ele aguarda a conclusão dos concursos públicos em andamento e a confirmação de outros para os próximos quatro anos.

NOVA GESTÃO

A Central de Polícia Judiciária (CPJ) bauruense também terá outro coordenador. A partir do dia 26 de agosto, o delegado Gláucio Eduardo Stocco, que comandava a CPJ de Jaú, ficará no lugar de Eduardo Herrera dos Santos.

O maior desafio da nova gestão, de acordo com Ricardo, diz respeito aos crimes contra o patrimônio, principalmente, furtos e roubos de veículos. "Embora venhamos de um período de quedas consecutivas de incidência criminal, os delitos em questão ainda nos preocupam", justifica.

Para enfrentar o problema, o seccional visa estreitar ainda mais o trabalho em conjunto com a Polícia Militar (PM), no sentido de ampliar as fiscalizações em revendedoras de peças de automóveis.

Para se ter ideia, de janeiro a junho de 2018, o município havia registrado 23 roubos e 301 furtos de veículos. No mesmo período deste ano, foram 20 roubos e 227 furtos, uma leve redução.

Trajetória

Ricardo Dias ingressou na Polícia Civil em 1992. Até 1994, trabalhou em Santos (3.º DP, 7.º DP e 5.º DP), no Litoral de São Paulo. De 1994 a 1998, assumiu como delegado titular, em Reginópolis.

Em 1998, ficou em Avaí por apenas 10 meses. De 1999 a 2005, chefiou a delegacia de Pirajuí. Em 2005, trabalhou no plantão policial, em Bauru, por quatro meses. No mesmo município, atuou como delegado assistente da Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

Em 2010, tornou-se delegado assistente da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) local, onde ficou até 2014. Em 2015, ocupou o cargo de delegado seccional de Jaú, função que exercerá até 30 de setembro. Em julho deste ano, assumiu também a Seccional de Bauru.

Ler matéria completa