Bauru e grande região

Polícia

Após furtar comércio, jovem é morto

João Victor Garcia arrombou estabelecimento e pegou caixas de sorvete; ele fugiu, mas foi encontrado e baleado pelo proprietário

por Francisco Brunelli e Vitor Oshiro

25/03/2020 - 09h59

Fotos: Malavolta Jr.

Homicídio ocorreu próximo ao viaduto da Duque com a Nações

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), esclareceu a morte de um jovem que foi baleado por volta de 1h20 desta quarta-feira (25), próximo ao viaduto da avenida Duque de Caxias com a Nações Unidas, em Bauru. Segundo as investigações, João Victor Garcia da Silva, de 20 anos, furtou caixas de sorvete de um estabelecimento comercial pouco antes e foi morto a tiros pelo proprietário do comércio (o nome não foi divulgado), de 46 anos.

O crime ocorreu na rua Joaquim Fidélis, no bairro Altinópolis, na região do Jardim Brasil. De acordo com boletim de ocorrência (BO), após denúncia, a PM se dirigiu ao local, onde localizou João Victor caído. O Samu constatou a morte. Ao lado do corpo, havia três caixas de sorvete, ainda gelados, com código de barras. A pessoa que denunciou o caso à PM informou ter visto uma caminhonete de cor escura parar ao lado da vítima e efetuar quatro tiros, consta no BO.

APURAÇÕES

A vítima estava sem documentos e a equipe da DIG foi acionada. “Constatamos, juntamente com a perícia técnica no exame perinecroscópico, que a vítima, possivelmente ao perceber a chegada do veículo, tentou correr, mas foi surpreendida pelo atirador, que se aproximou e efetuou os disparos. Pudemos verificar que dois dos tiros atingiram abaixo da nuca e nas costas, altura do pulmão”, explica Cledson Nascimento, titular da DIG.

As equipes da Polícia Civil iniciaram as diligências e identificaram, nas imediações do Parque Vitória Régia, um estabelecimento com alarme disparado e a porta de vidro da frente quebrada.

“Do lado de fora, era possível ver o freezer com a mesma marca de sorvetes do local do homicídio com vidro entreaberto. Acionamos a perícia técnica, que constatou o arrombamento da porta mediante a quebra de um vidro e arrombamento da porta do escritório”, descreve o delegado.

A DIG apurou que, logo após o disparo do alarme, o proprietário esteve no local. Ele viu as imagens das câmeras de segurança e partiu atrás do autor.

“Apreendemos o DVR do comércio furtado e identificamos o proprietário, sendo que, em nome da pessoa jurídica, identificamos a caminhonete usada no crime. Efetuamos diligência na residência do comerciante suspeito, onde localizamos a caminhonete por volta das 4h da madrugada, mas o suspeito não estava”.

Ainda segundo Cledson, a DIG conseguiu contato com o advogado do acusado, que disse que ele se entregaria no dia seguinte. Como ele não o fez, foi pedida sua prisão temporária.

ANTECEDENTES

Cledson Nascimento informa que o comerciante possui um indiciamento no ano de 2014 por violência doméstica, que foi arquivado.

Já João Victor era morador de rua e havia sido liberado em 15 de março em audiência de custódia, após ser preso por furto de uma loja de conveniência também na Nações Unidas. Ele tinha outros antecedentes por furto.

Ler matéria completa