Bauru e grande região

 
Polícia

Polícia Ambiental: durante pandemia, crescem autuações por desmatamento

Flagrantes por crimes contra a flora aumentaram na comparação com o ano passado; apenas em 2020 foram 70 autos

por Thiago Navarro

28/06/2020 - 05h00

Aceituno Jr

Tenente Cristiane Martinez Damiati: abordagens em locais abertos

A Polícia Militar Ambiental de Bauru aumentou o número de autuações relacionadas a desmatamento entre janeiro e junho deste ano, na comparação com o mesmo período do ano passado. A pandemia do novo coronavírus acabou interferindo nas abordagens dos policiais, que precisaram atuar mais em locais abertos devido à necessidade de distanciamento.

A 2.ª Companhia da Polícia Militar Ambiental, com sede em Bauru e atuação em 39 municípios da região, fez 70 autos de infração ambiental (AIA) de flora do começo do ano até o dia 3 de junho, contra 63 no mesmo período de 2019. A maior parte é relativa a desmatamento. O valor de multas aplicadas subiu de R$ 259,9 mil no ano passado para R$ 797,1 mil neste ano, no período.

Outro aumento foi no número de animais silvestres apreendidos, passando de 21 em 2019 para 34 em 2020. Porém, a região de Bauru teve redução de autos de infração de fauna, caindo de 322 para 194, também com diminuição do valor das multas de R$ 717,9 mil para R$ 505,5 mil.

Os autos de infração de pesca caíram, de 261 no ano passado para 159 neste ano, mas o valor das multas foi maior, subindo de R$ 51,3 mil em 2019 para R$ 56,6 mil em 2020. Ainda houve crescimento de armas apreendidas, de 31 para 38 neste ano.

CONSEQUÊNCIAS

A tenente Cristiane Martinez Damiati, comandante do 1.º pelotão da 2.ª Companhia da Polícia Ambiental, avalia que as limitações impostas pela pandemia de coronavírus fizeram a corporação mudar as abordagens, com mais facilidade para agir em espaços abertos. "Em algumas atuações, é preciso entrar em residências, como no caso dos criadores autorizados de pássaros.

Por isso, tivemos uma redução de autuações relacionadas à fauna, com um aumento nas autuações de flora, principalmente por causa de desmatamento. A Polícia Militar Ambiental fiscaliza todas as denúncias que recebe. Temos um período de até 30 dias para fazer a fiscalização e a maioria acontece em menos de 15 dias após a denúncia chegar", lembra.

Entre as áreas de atuação mais prejudicadas com a pandemia estão as que focam propriedades rurais - com redução de 1.029 fiscalizações até junho de 2019 para apenas 413 neste ano, e em madeireiras, saindo de 15 no ano passado para três em 2020. A fiscalização em criadores de pássaros também diminuiu, de 272 para 91 apenas.

DENÚNCIAS

A Polícia Militar Ambiental recebe denúncias 24 horas, todos os dias. Em Bauru, o telefone para fazê-las é o (14) 3103-0150; em Lins, (14) 3522-3571; e em Barra Bonita, (14) 3604-1440, todas dentro da área da 2ª Companhia com sede em Bauru e atuação em 39 municípios.

Operação

A Polícia Militar Ambiental de Bauru fez uma operação na Semana do Meio Ambiente, entre 1 e 5 de junho. Foram visitadas dez propriedades rurais, 14 criadores de pássaros e ocorreram dois bloqueios policiais. Neste período, os policiais fizeram seis autos de infração de flora, sete autos de infração de fauna, oito boletins de ocorrência de caça ilegal e a apreensão de 45 aves, que foram soltas também durante a semana passada. A Polícia Militar Ambiental ainda distribuiu 140 mudas de árvores, capturou um procurado e registrou três boletins de ocorrência de pesca. Todo o efetivo da Polícia Militar Ambiental foi aproveitado na operação, sendo 51 policiais na 2.ª Companhia em Bauru e 1.734 em todo o estado.

Ler matéria completa