Bauru e grande região

 
Polícia

Morre homem agredido pelo próprio filho, diz Polícia Civil

A vítima foi internada em abril e faleceu na última quinta; o suspeito está preso desde junho

por Cinthia Milanez

22/08/2020 - 05h00

Malavolta Jr./JC Imagens

A delegada Priscila Bianchini informa que já enviou toda a documentação sobre a morte do homem ao Ministério Público

Um homem de 68 anos morreu na madrugada da última quinta-feira (20) e, para a Polícia Civil, o óbito decorreu das agressões por parte do próprio filho, em Bauru, no dia 7 de abril deste ano, quando a vítima deu entrada no Hospital de Base (HB) em estado grave. O suspeito, de 33, foi preso por tentativa de homicídio em 17 de junho.

De acordo com a delegada titular do 1.º Distrito Policial (1.º DP), Priscila Bianchini, o homem só recebeu alta do Base em 3 de julho. Nesta data, a sua sobrinha conseguiu, na Justiça, a curatela da vítima e a levou para Resende, no Rio de Janeiro.

Contudo, o homem voltou a ser internado em 10 de agosto, desta vez, na Santa Casa de Resende, onde veio à óbito na última quinta-feira (20).

A reportagem teve acesso ao boletim de ocorrência (BO) registrado pela polícia carioca. Nele, consta que "as lesões foram sérias, pois teve fratura exposta na tíbia, ossos da face fraturados e traumatismo craniano com hemorragia".

Embora o laudo do Instituto Médico Legal (IML) não esteja pronto, Bianchini já encaminhou toda a documentação que recebeu do Rio de Janeiro para o Ministério Público (MP) local. "O autor está preso e foi denunciado por tentativa de homicídio, mas a Promotoria pode fazer um aditamento para homicídio propriamente dito", observa.

Conforme informações obtidas junto ao MP, o órgão fez a denúncia de homicídio tentado e ainda não foi informado sobre a morte da vítima.

Caso haja provas que demonstrem que o óbito esteja relacionado às agressões por parte do suspeito já preso, a Promotoria alega que a denúncia será aditada para constar como homicídio. Se a Justiça aceitá-la, o rapaz passará pelo Tribunal do Júri.

RELEMBRE O CASO

A prisão temporária do suspeito havia sido decretada em 16 de junho e, no dia seguinte, após uma denúncia da ex-companheira por ameaça, ele acabou localizado pela Polícia Militar (PM) em um veículo na rua Domingo Bertoni, na Vila Industrial.

Na ocasião, ele teria alegado que o pai sofrera uma queda em casa, mas os médicos avaliaram que as lesões não condiziam com um acidente doméstico. A unidade hospitalar, então, comunicou o caso à Polícia Civil, que instaurou um inquérito.

A vítima morava sozinha com o filho, que, de acordo com relatos de testemunhas à polícia, é usuário de entorpecentes.

O suspeito também poderá responder pela morte da sua mãe, ocorrida em 2013, em circunstâncias parecidas. A delegada Priscila Bianchini já pediu o desarquivamento do inquérito.

Ler matéria completa