Bauru e grande região

 
Polícia

Operação ataca pedofilia na Internet

Apurações da Polícia Civil começaram há três meses; três homens foram presos em Bauru e outros oito são investigados

por Larissa Bastos

12/09/2020 - 05h00

Delegacia Seccional de Bauru/Divulgação

Cerca de 60 policiais participaram da ação deflagrada ontem

Três homens foram presos em flagrante pela Polícia Civil por armazenar conteúdo pornográfico de crianças e adolescentes, nesta sexta-feira (11), em Bauru. Outros oito suspeitos de praticarem o mesmo crime seguem na mira das investigações. A fase final da Operação Ártemis também apreendeu 125 equipamentos de informática e uma arma de fogo. Os suspeitos, que não tiveram a identidade divulgada, pagaram fiança e responderão em liberdade.

As investigações começaram no Centro de Inteligência da Delegacia Seccional de Bauru. "Através de rondas virtuais, policiais civis identificaram endereços eletrônicos suspeitos de armazenar e compartilhar materiais pornográficos, entre fotografias e vídeos de crianças e adolescentes de cunho sexual", esclarece o delegado seccional de Bauru, Luciano Barros Faro, responsável pelo caso.

Após três meses de apurações, na manhã de ontem, foi deflagrada a fase externa da operação. Segundo o delegado, 60 policiais civis cumpriram 12 mandados de busca e apreensão em residências e comércios em Bauru, Lençóis Paulista e São Manuel.

FLAGRADOS

Com isso, em Bauru, três homens, de 49, 54 e 71 anos, foram presos em flagrante por infringirem o artigo 241-B do Estatuto da Criança e Adolescente (ECA). "Eles foram surpreendidos armazenando fotografias e vídeos que continham cenas de sexo explícito e pornográfico envolvendo crianças e adolescentes", explica Luciano Barros. O trio pagou fiança e vai responder ao crime em liberdade.

Além disso, durante as diligências, foi apreendida uma arma de fogo e 125 equipamentos de informática, dentre computadores, notebooks, HDs externos, pendrives, DVDs, celulares, máquina fotográfica e outros eletrônicos. Os aparelhos serão periciados pelo Instituto de Criminalística (IC) de Bauru, a fim de encontrar provas para os demais inquéritos policiais que serão instaurados contra outros oito homens ainda investigados pela corporação.

A ação contou com o apoio do Departamento de Polícia Judiciária do Interior (Deinter-4), Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Bauru, Delegacia Seccional de Polícia de Botucatu e do Instituto de Criminalística (IC) de Bauru.

Ártemis, protetora das crianças

Os policiais escolheram nomear a operação como Ártemis porque, na cultura grega, ela é a deusa da caça, da Lua, da castidade, do parto e dos animais selvagens, cultuada por aliviar as doenças femininas e por proteger as crianças e jovens. "A Polícia Civil realiza constantemente esse tipo de operação de combate à pedofilia. A maioria dos casos não dá repercussão como este, mas é importante destacar que nós estamos agindo sempre", ressalta o delegado seccional Luciano de Barros Faro.

Ler matéria completa