Bauru e grande região

 
Polícia

Adolescente morre baleada e namorado alega tiro acidental

Suspeito de 16 anos foi apreendido e responderá por ato infracional de homicídio

por Larissa Bastos

18/11/2020 - 05h00

Aceituno Jr./JC Imagens

Eduardo Herrera apura o caso

Uma adolescente de 15 anos morreu, na manhã desta terça-feira (17), em decorrência de um disparo de arma de fogo que atingiu sua cabeça, na madrugada deste domingo (15), no Fortunato Rocha Lima, em Bauru. Segundo a Polícia Civil, o autor seria o namorado dela, um adolescente de 16 anos. Ele se apresentou espontaneamente e afirmou aos policiais que o disparo foi acidental, mas foi apreendido. As identidades serão preservadas em respeito ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Segundo o BO, os jovens estavam na casa do suspeito, quando o irmão mais velho dele escutou o barulho de um tiro. Ao chegar no local, teria encontrado a vítima caída no chão e ferida, porém, ainda com sinais vitais. Em seguida, teria envolvido a cabeça dela em um lençol e contado com a ajuda de um vizinho para levá-la até a UPA do Bela Vista, onde recebeu os primeiros atendimentos. Depois, a jovem foi encaminhada ao Hospital de Base, pois seu estado de saúde era considerado grave. Ela, contudo, não resistiu aos ferimentos e morreu na manhã desta terça.

INVESTIGAÇÕES

Por envolver dois adolescentes, o caso ficou a cargo da Delegacia da Infância e Juventude (Diju). De acordo com o delegado titular da unidade, Eduardo Herrera dos Santos, foi expedido um mandado de busca e apreensão pelo Juizado da Vara da Infância e Juventude, que foi cumprido na tarde de ontem.

O namorado da vítima foi ouvido e apreendido. "Ele alegou que pegou a arma que ocultava em sua casa e, na intenção de fazer uma brincadeira, apontou a arma na direção dela, acreditando que não tivesse munição, e disparou. Ele disse que não tinha intenção de tirar a vida. Só que puxou o gatilho, então, assumiu o risco".

Ainda segundo o delegado, as investigações indicam que, até o momento, a versão apresentada pelo suspeito seria verdadeira. "Conforme ele afirmou até o momento, nós apuramos que eles se relacionavam há alguns meses e que ele não teria motivação relacionada a alguma situação de briga entre eles, ciúmes, nada disso. É, sem dúvida alguma, uma tragédia", lamenta.

ARMA DO CRIME

O adolescente disse à polícia que adquiriu a arma porque, há um tempo, se envolveu em uma briga e se sentia ameaçado. O armamento, porém, ainda não foi localizado. "Ele alegou que ficou muito nervoso e jogou a arma pela janela. Só que, como havia uma festa na rua, muita gente entrou e saiu do imóvel. Ele acredita que alguém tenha a encontrado e levado", detalha o delegado.

A polícia afirma que ainda vai continuar realizando diligências para localizar o objeto. "Também é de interesse da polícia e da Justiça retirar a arma de circulação, pois sabemos que o resultado pode ser trágico e irreparável. A vida não volta mais", finaliza o delegado Eduardo Herrera.

O adolescente vai responder por ato infracional de homicídio qualificado e foi encaminhado para uma unidade prisional da região, onde permanece à disposição da Vara da Infância e Juventude e do Ministério Público (MP).

Em outro caso, marido asfixia e mata mulher

Outro relacionamento terminou em tragédia em Bauru. Na madrugada de quarta-feira (11) da semana passada, uma mulher, de 63 anos, morreu após ser agredida e asfixiada pelo marido, de 73 anos, no Parque Alto Sumaré, região do Parque Vista Alegre.

Segundo o BO, vizinhos ouviram uma briga e acionaram os filhos do casal. Quando chegaram no local, a filha foi até o quarto e encontrou a mãe na cama, já sem vida. Enquanto isso, o filho foi até o fundo da residência e avistou o pai enrolando uma corda no pescoço. Após ser impedido de cometer suicídio, o idoso teria confessado que se desentendeu com a vítima, agrediu-a com um com soco e, depois, usou um travesseiro para asfixiá-la.

O acusado foi preso em flagrante, teve a prisão preventiva decretada e vai responder por feminicídio. O caso é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Bauru. 

Ler matéria completa