Bauru e grande região

 
Polícia

3 quadras do Estoril são interditadas para detonar granada achada em casa

Após quase cinco horas de mobilização, equipe do Gate explodiu o artefato, que estava em armário de uma residência

por Larissa Bastos

05/12/2020 - 05h00

Aceituno Jr

Gate veio da Capital para detonar granada que foi encontrada em residência no Jardim Estoril

A Polícia Militar (PM), com apoio do Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate), detonou uma granada que foi encontrada em uma casa, localizada na quadra 1 da rua Monsenhor Ramires, no Jardim Estoril, em Bauru, na tarde desta sexta-feira (4). Ninguém ficou ferido, contudo, uma grande mobilização foi necessária para explodir o artefato em segurança. Por quase cinco horas, três quadras do bairro ficaram interditadas. O Corpo de Bombeiros também deu apoio.

Conforme a reportagem do JC apurou no local, a inquilina da residência em questão se mudou para outra cidade e deixou o explosivo - que seria de um familiar que serviu no Exército - em um armário da casa. Ontem, a mulher que ficou responsável pela limpeza do local encontrou a granada e, sem saber o que fazer com o objeto, foi até uma Base da PM, por volta das 11h30, e relatou o fato.

Diante do risco que o artefato empreendia, diversas viaturas da PM estiveram no local e interditaram a quadra 1 da rua Monsenhor Ramires e as quadras 1 e 2 da rua Vivaldo Guimarães, até a chegada do Gate.

"São eles que têm condições de fazer a remoção e a detonação da granada em local seguro", afirma o subcomandante da PM Major Jovercy Bergamaschi Junior, relatando que a operação foi finalizada às 16h15. O Corpo de Bombeiros também esteve no local e apoiou a operação.

POTENCIAL DESTRUTIVO

Ainda segundo Bergamaschi, o explosivo já era antigo e de uso restrito das Forças Armadas. "O Gate avaliou que o artefato ainda estava ativo e tinha potencial destrutivo. Caso ele fosse acionado por populares, poderia ferir bastante quem estivesse a alguns metros dele", alerta.

A detonação foi feita dentro de um buraco, cavado na calçada de uma praça em frente à casa onde o objeto foi encontrado. "O Gate recolheu os restos da granada, que serão periciados a fim de identificar sua origem e fabricação", finaliza o subcomandante da PM, alegando que, posteriormente, os laudos serão encaminhados à Polícia Civil, que também esteve no local e deverá instaurar um inquérito para investigar o caso.

A Polícia Científica realizou a perícia técnica na área.

'Fui na padaria e não conseguia mais voltar'

Morador há 35 anos da quadra 1 da rua Monsenhor Ramires, no Jardim Estoril, Luiz Vicente Vieira, de 81 anos, conta que saiu de casa para ir à padaria e não conseguiu retornar. "O policial disse que eu não podia passar, que estava interditado. Então, fiquei rodando pela cidade. Fui no mercado, no banco, até que fui autorizado a passar, depois das 16h", detalha o aposentado, afirmando que a rua onde mora é bastante tranquila e estranhou a movimentação da tarde desta sexta-feira (4).

Uma outra moradora da mesma rua, que preferiu não ser identificada, alega que não temeu uma tragédia por conta da ação rápida da Polícia Militar no local. "Moro aqui há mais de 20 anos e nunca vi nada parecido. Tentei vir para casa, mas estava tudo interditado. Então, tive que deixar meu carro estacionado na rua de cima, porque os policiais só deixaram eu passar a pé", descreve.

Ler matéria completa