Bauru e grande região

Polícia

Polícia Militar flagra festa clandestina com 100 jovens

Perto do evento, no Vale do Igapó, a PM localizou van que trazia pessoas de Marília para o 'rolê'

por Cinthia Milanez

23/03/2021 - 05h00

Polícia Militar/Divulgação

PM descobriu a festa usando suas ferramentas de Inteligência

Em meio ao ápice da pandemia da Covid-19, que fez com que o governo estadual decretasse a fase emergencial, a Polícia Militar (PM) flagrou uma festa clandestina com cerca de 100 jovens entre 18 e 21 anos, na madrugada do último domingo (21), em Bauru. Perto do local do evento, no Vale do Igapó, a corporação também encontrou uma van que trazia pessoas de Marília para o "rolê". Neste veículo, uma passageira transportava drogas. A confraternização acabou encerrada e a sua responsável recebeu um auto de infração no valor de R$ 5 mil.

Segundo informações da PM, os policiais, por meio de suas ferramentas de Inteligência, descobriram que havia uma festa em uma chácara. Em vista disso, eles contataram a Prefeitura de Bauru, que designou os fiscais da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) para acompanhá-los até o local do evento.

Lá, a PM e a Seplan constataram que a confraternização abrigava cerca de 100 pessoas e todas elas foram abordadas, incluindo a organizadora, que recebeu um auto de infração no valor de R$ 5 mil.

A mulher, de acordo com o diretor da Divisão de Fiscalização da secretaria, Mario Cezar Carneiro Lobo Júnior, terá 30 dias para recorrer e, caso não o faça ou o seu recurso seja julgado improcedente, ela deverá arcar com o valor integral da multa.

Outras equipes da polícia patrulharam o entorno da chácara para encontrar um veículo que, com base nas informações obtidas através das suas ferramentas de Inteligência, teria saído de Marília para trazer mais pessoas para o evento em questão.

Uma van foi abordada perto do local da festa e, com uma das passageiras, a PM encontrou uma mochila contendo diversas embalagens de lança perfume, LSD e uma substância semelhante ao crack.

As bebidas, o equipamento de som e as drogas foram todos apreendidos.

PASSO A PASSO

Ainda segundo o diretor da Divisão de Fiscalização da Seplan, Mario Cezar Carneiro Lobo Júnior, tão logo a Ouvidoria recebe alguma denúncia envolvendo festas clandestinas, os fiscais da pasta são designados para verificá-la.

Para tanto, os servidores acionam os policiais militares - muitas vezes, ligados à atividade delegada. "A PM dispersa a aglomeração e nos ajuda a identificar os organizadores, que recebem um auto de infração de R$ 5 mil por realizar uma festa sem alvará", explica o titular da Seplan, Nilson Ghirardello.

Já Lobo Júnior diz que os fiscais encontram algumas dificuldades neste sentido. "As pessoas compram os ingressos com antecedência, mas só descobrem o local do evento perto do seu início, justamente para tentar driblar a nossa fiscalização", descreve.

No entanto, o diretor da Seplan ressalta que a pasta conta com o auxílio das ferramentas de Inteligência da PM, que levaram ao flagrante do último final de semana. "Nós também encontramos dificuldade em localizar os responsáveis, porque muitas festas ocorrem em terrenos baldios ou áreas rurais longínquas que sequer têm contrato registrado em cartório", acrescenta.

PRIMEIRO FLAGRANTE

Conforme informações da assessoria de comunicação da prefeitura, a festa do último final de semana foi a primeira em que houve um flagrante com a identificação do responsável ao longo da fase emergencial.

Na fase vermelha, a PM e a Seplan também flagraram um evento com a identificação do responsável. A ocorrência se deu no dia 21 de fevereiro último.

SERVIÇO

Para denunciar qualquer festa clandestina, basta acionar a Ouvidoria através do telefone (14) 3235-1156. O órgão atende diariamente, das 8h até a meia-noite. Depois, é necessário contatar a PM pelo 190.

Ler matéria completa