Bauru

Polícia

Mulher de 58 anos perde ouro e euro ao cair em golpe do bilhete premiado

Crime ocorreu na Vila Universitária e prejuízo foi de cerca de R$ 23,2 mil; PM destaca que é preciso desconfiar sempre

por Bruno Freitas

21/05/2021 - 05h00

JuRehder

Prevenção de golpes

Mesmo muito antigo, o golpe do bilhete premiado segue fazendo vítimas em Bauru. O caso mais recente ocorreu na noite desta quarta-feira (19), na Vila Universitária, quando uma mulher de 58 anos teve um grande prejuízo, repassando aos criminosos 20 gramas de ouro, 1 mil euros e mais R$ 10 mil.

Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima estava a pé pela rua Dr. Romildo Brunhari, quando foi abordada por um homem, que pediu informação sobre o endereço de uma agropecuária. Durante esta conversa, um outro indivíduo se aproximou em um automóvel, um GM/Ônix cinza, apresentando-se pelo nome de Ricardo e começou a interagir com ambos.

Neste momento, o motorista apresentou um bilhete de loteria dizendo que teria que ir até um determinado endereço para receber o prêmio em dinheiro. A conversa ocorreu entre os dois homens, com a mulher ao lado, apenas ouvindo.

Esta, inclusive, é a estratégia comumente utilizada para "fisgar" a vítima, com o objetivo de criar o desejo, destaca o primeiro-tenente Júlio César da Silva, comandante interino da 1.ª Companhia da PM.

CONFIRMAÇÃO 'FAKE'

Ainda segundo o registro policial, o motorista ofereceu o bilhete para o comparsa. Nesse meio tempo, ele enganou a vítima fingindo ligar para Caixa Econômica Federal, na frente dela, dando a ilusão de ter confirmado que estava em posse de um bilhete com prêmio de R$ 10 milhões.

No entanto, para sacar a quantia, o golpista disse que precisaria apresentar documento de identidade para a retirada, mas não o possuía. Eles negociaram uma transação e a vítima caiu no golpe. Ela foi até a sua residência e comprou o falso bilhete por 20 gramas de ouro, avaliados em R$ 6,3 mil, além 1.025,00 euros, que pode ser convertido (no euro turismo) em R$ 6,9 mil.

Com os itens em mãos, todos entraram no carro de um dos golpistas e seguiram até uma rua próxima da avenida Nações Unidas, onde seria o escritório de um deles. Ostentando joias em uma mala, com a possibilidade do negócio ser de R$ 10 milhões, o estelionatário pediu mais dinheiro e a vítima cedeu, transferindo para ele outros R$ 10 mil.

Ao receberem a quantia, ambos desapareceram. O total do prejuízo da mulher foi de cerca de R$ 23,2 mil.

NOVOS ENREDOS

De acordo com o primeiro-tenente Júlio César da Silva, o golpe do bilhete premiado é antigo e bastante conhecido, porém, o enredo é atualizado. Assim, os estelionatários envolvem a vítima, que, na maioria das vezes, tem mais idade. Segundo ele, Mulheres também são mais visadas e o crime, frequentemente, ocorre próximo de agências bancárias.

"As vítimas, nestes casos, sempre se sentem envergonhadas. É importante os familiares participarem da rotina financeira e orientar sobre os perigos. Ninguém oferece vantagem financeira nos dias de hoje. É importante desconfiar sempre", acrescenta o policial.

Ler matéria completa