Bauru

Polícia

Bando especializado em roubo de cosméticos em farmácias é preso

A Polícia Civil, por meio da Deic de Bauru, iniciou as investigações após assaltos na cidade e prendeu o grupo em São Paulo

por Cinthia Milanez

12/08/2021 - 05h00

Aceituno Jr.

Os três suspeitos foram presos em São Paulo e trazidos a Bauru

Após apurações que tiveram início com assaltos a redes de farmácias em Bauru, um grupo especializado em roubo de dermocosméticos de alto valor agregado acabou preso em São Paulo. A quadrilha, que chegou a atuar, até mesmo, fora do Estado, foi desmantelada pela Polícia Civil, por meio da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic), em Bauru.

A prisão do bando ocorreu nesta segunda-feira (9), mas os resultados da Operação Farma foram divulgados nesta quarta (11) pelo titular da 1.ª DIG, unidade ligada à Deic, o delegado Cledson Luiz do Nascimento, ao lado do delegado divisionário da Deic, Ricardo Silva Dias. "Trata-se de um trabalho de investigação muito bem feito que resultou na prisão de um grupo que não era da nossa região, mas atuou nela", destaca Dias.

INÍCIO DAS INVESTIGAÇÕES

Segundo Nascimento, as investigações tiveram início na primeira quinzena de julho, quando a quadrilha roubou duas redes de farmácias situadas na Zona Sul da cidade. "Antes, em dezembro de 2020, houve um assalto semelhante em uma drogaria da rua Rio Branco. Na época, nós já imaginávamos que os responsáveis não pertenciam à nossa região, que costuma registrar somente roubos aos caixas desses estabelecimentos. O grupo em questão também subtraía dermocosméticos, como cremes para prevenir rugas e sabonetes faciais", salienta.

A polícia percebeu que os crimes compartilhavam a mesma estratégia e começou a investigar. "As imagens das câmeras de segurança de uma das redes de farmácia mostraram as placas do veículo utilizado no crime. A partir daí, nós verificamos que tratava-se de um carro alugado, cujo condutor autorizado a conduzi-lo apresentava uma passagem por um roubo parecido em Campinas", descreve.

Em seguida, a polícia descobriu que o grupo estava em um hotel de Marília e conseguiu a qualificação de todos os seus integrantes. "Com o uso das nossas ferramentas de inteligência, nós também soubemos que, no mês anterior, a quadrilha havia roubado uma farmácia em Botucatu e se hospedado em Bauru. Na mesma época, eles assaltaram uma drogaria de Uberlândia, em Minas Gerais, e pernoitaram em Uberaba", complementa.

Alguns dias após os dois últimos assaltos em Bauru, a polícia registrou uma ocorrência semelhante em Presidente Prudente. Na ocasião, o bando teria utilizado uma Hyundai Tucson, encontrada na casa de um dos suspeitos, na Capital. Lá, a Deic cumpriu um mandado de busca e apreensão, assim como em outros dois endereços.

NA CAPITAL

Inicialmente, a Polícia Civil prendeu um casal que dividia um apartamento localizado na Penha: uma jovem, de 21 anos, e L.D.S.A., de 19. Só as iniciais dos envolvidos foram divulgadas pela instituição.

Outro suspeito, J.V.D.S.V., de 21, morava em uma casa no Jaraguá. O último integrante do grupo, G.J.S.B., de 19 anos, estava em uma residência no Parque São Jorge.

Os quatro foram trazidos para Bauru, porém, após reconhecimentos e confissões, os policiais descobriram que, na verdade, a jovem de 21 anos não participou das ações criminosas, mas sim, a sua irmã, de apenas 15. Com isso, a prisão dela acabou revogada e a Deic busca, agora, apreender a adolescente.

APREENSÕES

Nos endereços dos suspeitos, a polícia apreendeu a Tucson, uma pistola de airsoft, R$ 690,00, aparelhos celulares, roupas usadas em alguns crimes e uma pequena parcela dos dermocosméticos subtraídos - cerca de 200 itens.

Os produtos, de acordo com a Deic, serão devolvidos às vítimas, que, só em Bauru, amargaram um prejuízo estimado em R$ 80 mil.

DESTINO

Agora, a polícia tenta descobrir o destino dos produtos. "Certamente, há pessoas responsáveis pela distribuição dos itens subtraídos das farmácias e as nossas investigações seguirão no sentido de chegar a esses criminosos", adianta.

Os suspeitos deverão responder por roubo e associação criminosa. Eles seriam levados ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Bauru.

Ler matéria completa

×