Bauru

Polícia

Mais um óbito escancara fragilidade de motociclistas no trânsito de Bauru

Caio Cesar Martins, de 29 anos, foi sepultado ontem; das nove mortes nas ruas da cidade em 2021, 67% ocorreram sobre duas rodas

por Cinthia Milanez

13/08/2021 - 05h00

Facebook/Reprodução

O auxiliar de almoxarifado Caio Cesar Cesario Martins, de 29 anos, é a vítima mais recente de acidente de moto no município

Familiares e amigos do auxiliar de almoxarifado Caio Cesar Cesario Martins, de 29 anos, deram adeus à sua alegria contagiante nesta quinta-feira (12), no Cemitério Cristo Rei. O jovem morreu no dia anterior (11), após sofrer um acidente de moto na Vila Dutra, em Bauru. Mais essa fatalidade sobre duas rodas escancara a fragilidade dos motociclistas no trânsito do município. Segundo os dados da Emdurb, das nove pessoas que perderam a vida em acidentes dentro da cidade neste ano, seis conduziam motos, o que equivale a 67% do total.

O acidente mais recente se deu no acesso SPA 354/294, uma continuação da avenida Elias Miguel Maluf. Apesar de pertencer à zona urbana de Bauru, a área está ligada ao Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Por esse detalhe, a morte de Caio não engrossa as estatísticas da Emdurb.

Muito além dos dados, fica a dor da família do jovem. Cunhado do auxiliar de almoxarifado, o policial militar Marcos Vinícius de Moraes, de 37 anos, relata que Caio trabalhava durante o dia e estudava Educação Física à noite. Aos finais de semana, ele atuava como entregador de aplicativo, mas sempre foi bastante cuidadoso no trânsito. "Ele tinha uma alegria contagiante e sonhava em crescer na vida", complementa.

No dia do acidente, que ocorreu por volta das 19h, Moraes acredita que o rapaz estivesse voltando do trabalho para a sua casa, na Vila São João, onde ele vivia com a mãe, a auxiliar de limpeza Suzete Cesario Martins, e o pai, o auxiliar de serviços gerais Sebastião Martins Nascimento.

Conforme consta no registro da Polícia Civil, Caio colidiu contra a traseira de um Fiat Uno enquanto transitava pela continuação da Elias Miguel Maluf rumo à rodovia. O veículo estava no mesmo sentido que o motociclista, que também foi atropelado por um Fiat Palio. O jovem morreu no local.

Solteiro e sem filhos, Caio Martins deixou os pais, o cunhado e a única irmã, Daiane Martins de Moraes, de 33 anos.

PERFIL

O perfil do auxiliar de almoxarifado se assemelha ao da maioria das vítimas fatais do tráfego urbano de Bauru neste ano. Das nove pessoas que morreram em acidentes de trânsito dentro da cidade, seis tinham de 18 a 30 anos e oito eram homens. Do total, 67% conduziam motocicletas.

Engenheiro do Setor de Geoprocessamento e Estatísticas de Acidentes da Emdurb, Nelson Augusto Neto atribui esse fenômeno ao "boom" de motociclistas desde o início da pandemia da Covid-19, que fez com que muitas pessoas perdessem o emprego e optassem por trabalhar sobre duas rodas com o setor de entregas.

Além disso, de acordo com Neto, muitos bauruenses trocaram os seus veículos pelas motocicletas na tentativa de economizar e minimizar os impactos financeiros da pandemia.

O engenheiro da Emdurb também atribui o problema à imprudência por uma parcela dos motoristas. "Por isso, nós pretendemos sugerir que o Setor de Educação abra um 'braço' da Semana Nacional do Trânsito, celebrada em todo mês de setembro, para a conscientização desse público, independente do tema a ser seguido", observa.

RETOMADA

A chefe do Setor de Educação da Emdurb, Anauá Moreira, informa, em nota, que o órgão realmente diminuiu as atividades de conscientização presenciais em função da pandemia, mas manteve algumas ações virtuais através do seu canal no YouTube (emdurbbauruoficial).

O setor diz, ainda, que desenvolve palestras para pequenas turmas nas escolas e demais instituições de ensino. Para o mês que vem, "como nós temos a previsão de uma maior flexibilização e haverá a Semana Nacional do Trânsito, já organizamos a retomada das ações presenciais, inclusive, dos bloqueios orientativos".

Ler matéria completa

×