Bauru

Polícia

Golpe do falso mecânico é aplicado em Bauru e vítima perde quase R$ 4 mil

Uma mulher foi abordada na saída de um supermercado na região da Vila Cardia e sofreu um prejuízo de R$ 3.980,00

por Cinthia Milanez

22/08/2021 - 05h00

Aceituno Jr.

A vendedora aposentada Vera Lúcia Moreti de Camargo registrou um boletim de ocorrência após perceber o golpe

O que era para ser uma simples ida ao supermercado tornou-se um pesadelo para a vendedora aposentada Vera Lúcia Moreti de Camargo, de 64 anos, que perdeu R$ 3.980,00 após cair no golpe do falso mecânico, na última quinta-feira (19), na região da Vila Cardia, em Bauru. A Polícia Civil, inclusive, acende um alerta para esse tipo de estelionato, já que registrou, ao menos, outros seis casos semelhantes nos últimos cinco meses.

A aposentada relata que, ao sair do supermercado, verificou que havia um carro tentando ultrapassá-la e, quando o condutor do automóvel conseguiu concluir a manobra, deu sinal para que ela checasse o seu veículo. "Eu desci do carro na rua Almeida Brandão para ver os pneus, uma vez que o painel não me apontava qualquer outro problema", acrescenta.

Como os pneus estavam intactos, Camargo voltou para o carro, momento em que foi abordada pelo mesmo homem que a havia alertado sobre o veículo. O rapaz, então, falou sobre um possível vazamento de óleo, apontando, inclusive, para algumas marcas no chão. "O homem pediu para eu abrir o capô, que virou um fumaceiro. Diante disso, ele solicitou o telefone do meu seguro, fez a ligação do próprio celular e acionou um mecânico", relata.

A aposentada até conversou com o atendente do outro lado da linha, que alegou que o mecânico chegaria rapidamente, pois ele já estava naquela região. "Já no local onde eu estacionei o carro, o mecânico me pediu para desligar todos os aparelhos eletrônicos. Assim, o computador do carro se conectaria com a peça que seria colocada", narra.

No final do serviço, de acordo com Camargo, o mecânico pediu para a aposentada passar o seu cartão de débito duas vezes: uma parcela de R$ 39,90, que seria restituída dentro de 24 horas, e outra de R$ 26,90, quantia referente à peça colocada. "Eu digitei a senha sem verificar o valor e, quando cheguei à minha casa, descobri que, na verdade, perdi quase R$ 4 mil", informa.

A aposentada acionou o seu banco, que abriu um processo para verificar a possibilidade de ressarci-la. Camargo também registrou um boletim de ocorrência (BO) junto à Polícia Civil.

ALERTA

Titular do Setor de Investigações Gerais (SIG), Alexandre Protopsaltis afirma que, nos últimos cinco meses, a Polícia Civil registrou cerca de seis ocorrências semelhantes. "Trata-se de um golpe relativamente tradicional que acomete as vítimas - geralmente, idosas - na saída dos supermercados", reforça.

O delegado acredita que sejam pessoas de fora as responsáveis pelo golpe aplicado em várias cidades. Agora, as investigações seguem no sentido de identificar os criminosos e, por isso, é importante comunicar a polícia imediatamente após a descoberta do estelionato.

Protopsaltis também orienta a população a desconfiar de possíveis indivíduos bem-intencionados, a procurar por um mecânico que já conheça e a ter bastante cautela com os seus cartões bancários.

Ler matéria completa

×